GNR apreende meixão capturado ilegalmente no Cartaxo

Pesca ilegal desta espécie põe em risco a sua sustentabilidade

O Comando Territorial de Santarém da GNR, através dos Núcleos de Proteção Ambiental, apreendeu 430 gramas de meixão nos concelhos de Cartaxo e Salvaterra de Magos, quantidade que no mercado final poderá valer mais de três mil euros.

Foi no âmbito de uma ação de fiscalização à captura ilegal de meixão, na passada terça-feira, 18 de dezembro, que os militares detetaram redes de pesca deixadas no rio Tejo com o objetivo de capturar esta espécie – a enguia europeia (anguilla anguilla), que na fase larvar é conhecida por meixão, é uma espécie considerada em perigo e que tem sofrido grande redução no número de efetivos em razão da pesca ilegal, impedindo desta forma o normal ciclo de reprodução, colocando em causa a sustentabilidade da espécie.

De acordo com a GNR, desta ação resultou a apreensão de oito âncoras, quatro redes de pesca, várias boias de sinalização e de 430 gramas de meixão, que correspondem a mais de dois mil espécimes, com um valor estimado de 215 euros no mercado nacional, podendo, no mercado final (países Europeus e Asiáticos), atingir o valor de mais de 3.225 euros.

O meixão apreendido, por ainda se encontrar vivo, foi devolvido ao seu habitat natural, informa a GNR que, nesta operação, contou com o reforço do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da Unidade de Intervenção.

Pode gostar também