Gordura de excelência

Proveniente da azeitona, a gordura de que lhe falamos escusa apresentações.
O seu uso em cozinha é o mais variado possível, sendo mesmo indispensável em muitas receitas tipicamente portuguesas. E benefícios não lhe faltam.

azeite-1Tradicionalmente usado na cozinha portuguesa, o azeite pode considerar-se uma gordura de excelência. Base da dieta mediterrânica, o azeite contribui, em muito, para o baixo nível de gordura saturada, colesterol e gordura trans, que caracteriza este regime alimentar, rico em gordura monoinsaturada. Esta é a gordura benéfica para a saúde, por ajudar a diminuir os níveis de colesterol no sangue, devendo ser o tipo de gordura escolhido, quer através do azeite, quer de frutos oleaginosos, como amêndoas, amendoins, entre outros.

O consumo de azeite fornece de forma adequada, ao organismo, os ácidos gordos essenciais, sendo ainda um produto alimentar rico em vitaminas lipossolúveis e em antioxidantes. Embora tenha uma composição em ácidos gordos semelhante à de outros óleos
vegetais – de girassol, soja –, revela-se a gordura mais vantajosa nos cozinhados, pela sua elevada resistência às altas temperaturas, sendo a gordura ideal para fritar.

Obtido a partir do fruto da oliveira através de processos, exclusivamente, físicos (pressão ou centrifugação), o azeite apresenta-se em diferentes tipos no mercado, tendo em conta o seu grau de acidez, o tipo de selecção da azeitona, entre outras características. O azeite virgem extra e o azeite virgem são ambos produto de categoria superior, com sabor e cheiro intensos, (ideal para temperar em cru), obtido directamente de azeitonas seleccionadas, unicamente, por processos mecânicos. Há ainda o azeite comum – mistura de azeite refinado e virgem –, ideal para cozinhados e fritos, para além, depois, dos azeites de agricultura biológica e os DOP (azeites com denominação de origem protegida), para apreciadores exigentes.

Ao contrário de outras dietas ricas em gordura, como a dieta típica ocidental, a maioria da gordura da dieta mediterrânica provém de um único componente alimentar – o azeite.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.