Grau de Prova – Mais que um Centro de Línguas, um espaço de ensino

 

Dando cumprimento a um sonho de criança, Ana Gaudêncio fundou um Centro de Línguas, no Cartaxo, que é hoje um local de estudo para alunos de todas as idades.

 

grau de prova
Para Ana Gaudêncio, tudo começou há cinco anos quando, depois de experiências no ensino oficial e do encerramento da escola de línguas em que trabalhava, decidiu fundar o Grau de Prova, no Cartaxo, um Centro de Ensino de Línguas que é hoje uma referência na sua área. Atualmente, o Grau de Prova, além da vertente de ensino de línguas estrangeiras, com forte destaque para o francês lecionado pela fundadora, é também um centro de estudos. “Temos oferta nas duas vertentes, porque se havia procura para o centro de línguas, também havia muita procura para o apoio às outras áreas escolares”, explica Ana Gaudêncio, que destaca as disciplinas de exame, como o português e a matemática, como as que requerem mais atenções, “mas também somos solicitados para dar apoio a outras, como o inglês ou físico-química, por exemplo, e isto em todos os graus de ensino, desde o primeiro ciclo ao nível universitário”.

 
Casada, mãe do Bernardo, de 5 anos, Ana Gaudêncio, que desde criança nunca pensou noutra profissão que não fosse “ser professora”, divide-se entre Santarém, onde vive, e o Cartaxo, cidade que escolheu para instalar o seu Centro de Línguas. Com uma equipa que classifica de “muito motivadora” de dez professores, a que se juntam dois auxiliares e uma funcionária administrativa, o Centro conta hoje com mais de 200 alunos, nas várias áreas lecionadas. No caso dos cursos de línguas, além da matéria curricular que os alunos seguem na escola oficial, é também ministrada matéria que segue o programa do Centro. “Os nossos cursos de línguas têm um programa próprio que lhe pode atribuir uma certificação, porque temos alvará do Ministério da Educação para os nossos cursos. Os nossos alunos podem ainda, por exemplo, obter certificações, se pretenderem, além da nossa, com o Cambridge, porque o nosso programa é igual ao do Cambridge, basta, para tal, fazerem o exame. O mesmo acontece com o espanhol, através do Instituto Cervantes, e com o francês, com a Aliance Française, e do alemão, com o Instituto Munique”, revela Ana Gaudêncio. Como curiosidade, referira-se que os cursos de línguas são frequentados por alunos de todas as idades. “Temos muitos adultos, em cursos pós laborais, que são bastante procurados por quem pretende melhorar os seus conhecimentos, mas também por muitas pessoas que estão, por exemplo, a pensar em emigrar”, conclui.

 

Enquanto se conversa com Ana Gaudêncio vai-se percebendo que o Grau de Prova é um centro de estudos muito especial, pois a cada frase depara-se-nos mais uma iniciativa ou uma novidade, todas pensadas na melhoria da qualidade de ensino e direcionadas para a aprendizagem. É assim que nasce a parceria, inédita, entre o Grau de Prova e a Associação Alfalug, ligada à Lego e responsável por grandes eventos relacionados com as famosas “pecinhas de encaixar” que são, para Ana Gaudêncio, “muito mais que uma brincadeira”. “Trabalhamos muito com a Lego, é um serviço extra que fornecemos, e que usamos para levar os alunos a aprenderem a concentrar-se. A Lego é uma motivação que os leva a esforçarem-se. Temos a área criativa, na qual os alunos criam as próprias peças, e os set, que têm uma duração de uma hora para ser feitos. Isto leva-os a habituarem-se a estar concentrados uma hora, que é também o tempo que têm para fazer um teste na escola”, explica. A parceria já os levou a participar, em Óbidos, “na maior exposição de Legos da Península Ibérica, onde o Centro esteve representado com trabalhos de alunos nossos”, conta-nos, com visível orgulho.

 
O mesmo orgulho que leva Ana Gaudêncio a garantir que, até ao momento, pouco tem investido em publicidade, já que a melhor divulgação que pode ter é o “passa palavra”. É por isso que, ao longo do ano, mantém a iniciativa “Traz um amigo”. “É simples, como o nome indica, quem trouxer um amigo tem um desconto sobre os serviços contratados”, diz-nos, frisando que outra mais-valia do Centro são os preços praticados, que considera “muito acessíveis, já que, por exemplo, uma aula de acompanhamento de estudos, no regime de sala aberta, custa apenas quatro euros à hora, além dos pacotes mensais para o estudo de uma língua que são, também, muito acessíveis”.

Mais artigos
1 De 41

 
As próximas iniciativas do Grau de Prova incluem, já em dezembro, uma Árvore de Natal Solidária. “Pedimos aos pais e aos alunos que nos tragam coisas que já não usem, como brinquedos, roupas ou objetos. Depois damos, gratuitamente, workshops de embrulhos e lacinhos, para que, no final do mês, tudo esteja embalado para ser doado à Santa Casa da Misericórdia de Santarém”, conta-nos Ana Gaudêncio. A grande iniciativa está reservada para as férias da Páscoa, já que no Grau de Prova se estão a ultimar pormenores para uma viagem a Londres, que a responsável do Centro espera que seja a primeira de muitas que pretendem fazer. “Pela importância da língua inglesa, pensámos fazer, este ano letivo, uma viagem a Londres. Nas férias da Páscoa, vamos com um grupo de 23 alunos, naquela que vai ser a nossa primeira viagem. Vão ser três dias de muita correria, mas também de muitas atividades para cumprir o programa que preparámos. Vai ser muito bom para eles se testarem e aplicarem ,na prática, os conhecimentos”, revela-nos, antecipando já o enorme prazer e orgulho que vai ser ver os seus alunos “no terreno”, a falarem a língua que têm vindo a aprender. Afinal, este é o objetivo principal do Grau de Prova.

 


 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.