Guisado de Borrego

Por Madalena Dias Antigamente não existia no Cartaxo “cantinho” em que não se cultivassem produtos agrícolas que davam sustento a toda a população, tanto no consumo próprio de cada casa, como também para serem vendidos nas feiras, mercados e pela altura da Feira dos Santos.

Muitas das vezes, em comunidade criavam-se animais de maior porte e a carne era posteriormente distribuída pelas gentes que contribuíam para a engorda dos animais.

A falta de condições (eletricidade) de armazenamento, fazia com que o consumo tivesse de ser rápido para que não existisse desperdício, quando tanta gente precisava de “pão para a boca”.

Criavam-se suínos, galináceos, ovinos e caprinos para a sua alimentação e o gado bovino para ajudar no amanho das terras, nomeadamente para arar e gradar a terra.

Guisado de Borrego

Ingredientes: dois quilos de aba de borrego, quatro cebolas médias em rodelas, uma colher de sopa de pimentão doce em pó, oito dentes de alho laminados, três folhas de louro, sal q.b., oito bagas de pimenta preta em grão, azeite q.b., seis batatas em cubos, oito fatias de pão caseiro duro, dez pés de coentros frescos, oito pés de hortelã fresca.

Ler
1 De 38

Preparação e confeção: Cortar a carne em tiras largas e colocar sal, q.b., 20 minutos antes de cozer. Lavar a carne para retirar o excesso de sal e colocar a carne ao lume coberta de água, sal q.b., e a pimenta em grão. Assim que começar a ferver forma-se espuma que se vai retirando com uma escumadeira, até terminar. Num outro tacho, colocar o azeite, as cebolas, o pimentão doce, os alhos e o louro. Deixe o refogado quebrar sem fritar. Coloque as batatas em cubos e cubra com o caldo da cozedura da carne, previamente coado.

Assim que a carne estiver bem cozida, coloque-a sobre as batatas, volte a cobrir com mais caldo para que as batatas cozam, em lume brando, junto com a carne já cozida. Deixe reduzir.

No final o caldo deverá só cobrir a carne e as batatas para não ficar muito aguado.
Num tabuleiro disponha as fatias de pão duro e coloque sobre o pão, os coentros e a hortelã em rama.

Disponha sobre as aromáticas, a carne com as batatas e regue abundantemente com caldo até ficar bem ensopado e com caldo suficiente para que se pareça quase com uma sopa.

Uma vez mais aparece o aproveitamento do pão duro. O pão sempre foi e será uma importante base da nossa alimentação e cultura gastronómica. Sirva bem quente!

Pode gostar também