Hoje celebra-se o melhor amigo do Homem

Quem tem a sorte de ter um amigo de quatro patas sabe bem do que falamos, sobretudo os que têm a sorte de serem donos de cães. Nada paga a alegria que eles mostram quando o dono regressa a casa, depois de um extenuante dia de trabalho. Aquela cauda a abanar incansavelmente, os latidos de boas-vindas… impagáveis e insubstituíveis. E uma recarga nas baterias, diríamos nós.

Hoje assinala-se o Dia Mundial do Cão. Não há animal mais fiel do que o cão, que é mesmo o melhor amigo do Homem. Existem, até, relatos – e provas científicas – que o cão reconhece sempre os seus cuidadores, por muito tempo que passe.

A presença de um cão é benéfica para a saúde, não só porque ajuda a aliviar o stresse, mas também porque tem o chamado “instinto animal”, que nos pode ajudar em diversas situações. A este propósito, importa lembrar que, segundo um estudo da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Arkansas, liderado pelo endocrinologista oncológico Donald Bodenner, os cães conseguem “cheirar” o cancro da tiróide em estádios ainda iniciais. Isto acontece porque os cães têm um olfacto dez vezes mais sensível que o olfacto humano. No estudo citado, um pastor alemão chamado Frankie, acertou o diagnóstico em 88,2 por cento dos casos, apenas farejando a urina das pessoas que participaram na experiência.

cao3Este estudo abre um novo leque de possibilidades, já que a deteção de odores por parte de cães tem a vantagem de ser um método não invasivo e de baixo custo.

E por falar em estudos, um grupo de cientista da Universidade do Nebraska descobriu que os cães sincronizam as suas hormonas para estarem em concordância com as dos donos, seja em momentos de felicidade, tristeza, ansiedade ou stresse.

Vida A.C. (Antes do Cão) e D.C. (Depois do Cão)
Dizem os afortunados donos de cães que a vida é totalmente diferentes antes e depois do cão. Vai-se a arrumação mas chega a alegria, acabam-se as manhãs relaxadas na cama mas conquistam-se as caminhadas pelo campo, chega de silêncios e viva os latidos de pura alegria, é o fim da solidão e o início de uma vida regulada pelas lambidelas… é tudo diferente mas tão melhor!

cao1E aqueles olhinhos de quem acabou de fazer um disparate? De quem acabou de roer as almofadas do sofá e transformar a sala num campo nevado ou de destruir a árvore de Natal?

Alguns cães são calmos e tranquilos, mas outros comportam-se como autênticas “pestes”.

Segundo um estudo britânico, assente em depoimentos e histórias de dois mil donos de cães, as dez raças mais propícias ao disparate são: Chihuahua, Dachshund, Boxer, Dálmata, Buldogue Inglês, Dogue Alemão (ou Grand Danois), Husky Siberiano, Beagle, Pointer Inglês e Pastor Alemão.

Os mais calmos são os Staffordshire Bull Terrier.

Cães ansiosos

Todos os donos de cães sabem que, muitas vezes, basta um trovão inesperado, uma porta de carro a bater, um brinquedo irritante, uma criança maldosa ou o simples som do aspirador, para deixar o amigo de quatro patas em estado de ansiedade, que muitas vezes se reflete nos músculos do animal, podendo mesmo comprometer os movimentos.

cao2Para reduzir os níveis de ansiedade, dizem os especialistas, poderá recorrer à ajuda de um treinador, especialmente quando o cão fica ansioso perante um vasto leque de situações, algo que pode interferir com o seu bem-estar.

Também a música pode ser uma boa aliada. De acordo com a veterinária Jessica Vogelsang, existe um álbum chamado ’Through a Dog’s Ear’ que contém as sonoridades mais indicadas para acalmar o animal.

Os cães podem ficar ansiosos antes de uma tempestade, devido à acumulação de eletricidade estática no ar. Uma boa dica para evitar que entre em estados perigosos de ansiedade é secar-lhe o pelo. Deverá, também, saber qual o local onde ele se sente mais confortável e aconchegá-lo (pode ser com uma manta, por exemplo), minimizar os sons agressivos (fechar portas e janelas ou dando-lhe um brinquedo que produza sons), e dar-lhe algumas guloseimas e mimos. No entanto, e em casos mais extremos de ansiedade, deverá consultar o veterinário, que poderá receitar-lhe uma versão sintética de feromónios, um componente calmante presente no leite materno da cadela.

A má relação entre os amigos de quatro patas e o fogo de artifício também é conhecida. Neste caso, e sabendo de antecedência que se prepara uma festa rija (e barulhenta), deverá cansar o animal, para que tenha o sono pesado, mantê-lo dentro de casa, convenientemente fechada, distraí-lo e, sobretudo, manter-se também calmo. Vai ver que resulta.

Mimos e mais mimos 

Conta a revista Science que um estudo provou que os animais respondem de forma mais positiva a estímulos físicos,como festas, do que aos biscoitos como recompensa.

cao4Para o estudo, os investigadores norte-americanos analisaram, através de scanners, o cérebro de 15 cães de várias raças, colocando-os perante objetos com ‘prémios’, que podiam ser um elogio do dono ou um pouco de comida. Quando a recompensa era um elogio do dono, 13 dos 15 cães mostraram uma atividade cerebral maior na região que controla a tomada de decisões e o sentido de recompensa.

Além disso, ao que parece, os cães também “julgam” caráteres.

Um estudo levado a cabo pela Universidade de Quioto, no Japão, testou 18 cães em três cenários diferentes para ver como reagiam a cada um.

Depois de uma primeira experiência onde os donos dos cães pediam ajuda a um estranho, os cães recusaram comida dada pelas pessoas que negaram ajuda aos seus donos e aceitaram o que veio das mãos dos que ajudaram e dos que permaneceram neutros.


Pode gostar também

Comentários estão fechados.