Impormol deixa 180 trabalhadores no desemprego

 

A Impormol, no concelho de Azambuja, vai mesmo encerrar portas, tendo já deixado de produzir. No desemprego, ficam cerca de 180 trabalhadores, muitos dos quais residente no concelho do Cartaxo.

impormolEsta sexta-feira decorreu um plenário de trabalhadores, onde foram discutidas algumas formas de luta.

Fernando Pina, do Sindicato das Indústrias Transformadoras de Energia e Ambiente, ouvido pela Tejo Rádio Jornal, disse que “neste momento, os trabalhadores estão dispensados de se apresentar na empresa, por a empresa ter um excesso de produção”, acrescentando não saber de onde partiu a ordem de encerramento. Fernando Pina que, para além de dirigente sindical, é trabalhador da empresa, realça que na carta que os trabalhadores receberam não fala em encerramento, “nem eu nem os meus colegas recebemos nada a dizer que a empresa tinha sido encerrada. Portanto, há aí qualquer coisa que não bate certo”.

Fernando Pina acrescentou que “ninguém está a discutir indemnizações neste momento, neste momento ninguém fala nisso. Falamos é em defender os postos de trabalho”.

O dirigente sindical recusa falar em encerramento, preferindo falar em suspensão da produção. A situação já se arrasta há, pelo menos, quatro meses. “Novidade não se pode dizer que seja, mas também pode ser, porque se há quatro meses foi feito um despedimento coletivo para viabilizar a empresa (29 trabalhadores), quatro meses depois deparamo-nos com um excesso de produção”, concluiu.

Mais artigos
1 De 946

Notícia em desenvolvimento.


 

 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.