Jorbi Team José Maria Nicolau apresenta equipas

São ao todo 28 atletas que iniciam a nova época pelo Clube José Maria Nicolau.

Casa cheia na apresentação oficial das equipas do Clube José Maria Nicolau para 2017, no passado sábado, 18, no Centro Cultural do Cartaxo. Mariana Nicolau apresentou os atletas do Jorbi Team para esta época, depois de lembrar o seu bisavô, o grande ciclista do Benfica que dá nome ao Clube

Atletas, família e amigos encheram o auditório do cinema do Centro Cultural do Cartaxo para conhecer os 28 atletas que compõem as quatro equipas do Clube José Maria Nicolau para a época de 2017, nos escalões de Escolas, Cadetes, Juniores e Sub-23 Elites. Todos os escalões passam a ter a designação de Jorbi Team José Maria Nicolau, destacando-se a marca de bicicletas portuguesa, Jorbi, que apoia o Clube vai para sete épocas. Também foram alterados os equipamentos, embora mantenham o cor de laranja que já identifica as suas equipas.

Durante a apresentação, José Nicolau agradeceu aos pais pela forma como têm ajudado o Clube, pois tem sido, nas palavras do responsável, com muita dedicação de todos que “temos conseguido contornar as dificuldades, como a crise económica, a falta de apoios e patrocinadores, e porque o ciclismo é uma modalidade cara, mas a teimosia é mais forte que a razão”, diz, acrescentando que “o esforço compensa” e “estamos cá para continuar”. Para o comprovar, o Clube homenageou Rui Alexandre, um jovem atleta que nas duas últimas décadas se destacou como “um elemento facilitador do espírito de equipa, empenhado e disponível a ajudar os seus colegas” de dos jovens corredores da equipa, demonstrando que “não é preciso ser campeão, basta ser uma pessoa humilde, para ser reconhecido por nós”, referiu José Nicolau.

Marco Chagas foi um dos convidados especiais do evento, num reconhecimento feito pelo Clube, que quer “lembrar que temos um grande ciclista no nosso concelho, para que os nossos jovens tenham sempre uma referência por perto”. O corredor de Pontével, que venceu quatro Voltas a Portugal em bicicleta, lembrou que “a par do vinho, o Cartaxo é reconhecido pelo ciclismo”, sendo o concelho com mais vitórias na Volta a Portugal. E apesar de, normalmente, ser o porta voz desta modalidade, “há muitas referências do ciclismo no concelho”, diz Marco Chagas que deixou a mensagem que sempre gosta de deixar aos mais jovens: “o que interessa aqui não é o facto de ser campeão ou não, o que interessa é o convívio, o espírito de equipa e o respeito pelos outros”.

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Pedro Ribeiro, felicitou o clube e os atletas, pela “teimosia com que conseguem perpetuar o bom nome do Cartaxo ligado ao ciclismo e o nome de José Maria Nicolau”, referindo que “foi interessante ver o espírito de grupo existente (na Escola, no Setil), que é uma das peças fundamentais para o sucesso, neste que é um desafio feito em equipa. Pedro Ribeiro registou ainda “a muita juventude” presente na sala com a camisola do Clube, que “dá-nos a garantia de futuro”. “Estamos a falar hoje, acima de tudo, de formação e o ciclismo transporta valores muito úteis à sociedade atual: valores de equipa, valores do trabalho, valores da solidariedade”, rematou. Délio Pereira, presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta, agradeceu a José Nicolau, neto do grande José Maria Nicolau, e responsável pelo Clube que completa no próximo mês 15 anos, “por representar tão bem a nossa terra pelo País”.

O Jornal de Cá apoia o Clube e passa a ser o seu parceiro media oficial.

Mais artigos
1 De 178

Jorbi Team José Maria Nicolau 2017

Na categoria de Escolas, orientada pelo treinador Samuel Estêvão e pelo diretor Luís Estêvão, encontram-se os atletas: Daniel Estêvão, Guilherme Cunha, Francisco Brilha, Simão Salvaterra, Leonor Estêvão e Jasmim Valada.

Os Cadetes, treinados Paulo Figueiredo, têm como diretor Luís Estêvão, e são João Pedro Rocha, Duarte Bento e Miguel Carvalho, todos com 15 anos de idade.

Os Juniores, com o treinador Paulo Figueiredo, são: Duarte Areias, Telmo Silva, Guilherme Oliveira, Tomás Sequeira, João Silva, Rafael Espadinha, Luís Oliveira e Bernardo Norte, com idades entre os 17 e os 18 anos.

A categoria de Sub-23 Elites, que é a 11ª equipa de Sub-23 formada pelo Clube, tem como treinador José Nicolau e são acompanhados em competição por Paulo Figueiredo e Luís Estêvão, são eles: João Ribeiro, Micael Vitorino, André Cunha, Nuno Marques, Jorge Marques, Cláudio Sousa, Germano Arroio, Sandro Branco (com 18 anos, é o seu primeiro ano nos Sub-23, nos Juniores foi campeão Regional e venceu o Circuito das Vindimas, tendo sido segundo lugar em vários outras provas nacionais), Bernardo Gonçalves (o Júnior Revelação em 2016, ano em que alcançou medalha de bronze nos campeonatos nacionais e foi vencedor do Grande Prémio da Anadia Rota do Espumante), Fábio Leaça e André Ramalho.

Conquistas da época passada

Depois de uma breve lembrança, em jeito de homenagem a José Maria Nicolau, houve tempo para recordar os feitos da época passada, nomeadamente os Juniores que venceram na categoria Revelação, destacando-se o terceiro lugar nos campeonatos nacionais de fundo, o top 10 alcançado na Taça Nacional e vitória no Circuito das Vindimas, em Alenquer. A equipa Sub-23 mostrou-se lutadora ao longo do ano, estando na luta pelos lugares cimeiros na Taça de Portugal, no entanto, apenas no último terço da época, nos circuitos e prémios finais, os ciclistas do Cube discutiram os primeiros lugares. Entre as vitórias alcançadas contam-se os triunfos de André Ramalho, na montanha, no prémio da Anadia e como melhor Sub-23 no Circuito de Nafarros. Para culminar a época, o ciclista do Clube Bernardo Gonçalves foi considerado o Júnior Revelação da época 2016, pela Associação Roda na Frente, que visa a promoção divulgação do ciclismo jovem de formação. Um prémio não só deste ciclista mas também de toda a equipa e clube.

O ciclismo no coração

José Maria Nicolau nasceu no Cartaxo, em 1908, numa família pobre e desde cedo começou a trabalhar como serralheiro, mas tendo sempre o ciclismo no seu coração. Começou a correr no Sport Lisboa e Benfica e assim começou o seu sonho. De grande porte atlético e com uma grande e vigorosa pedalada um homem à frente do seu tempo, em termos de treino e tática para as corridas, o que levou a ganhar tantas vezes e a tornar-se um dos maiores desportistas do Benfica.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.