Mário Silva e Pedro Nazareth Barbosa distinguidos no Dia do Município

A sessão solene teve lugar, este ano, no Centro Cultural do Cartaxo, praticamente cheio, que assistiu, para além das atuações da Tuna da Universidade Sénior do Cartaxo e do Rancho Folclórico do Cartaxo, à atribuição de duas Medalhas e Diplomas de Mérito Municipal e à atribuição de medalhas de cinco, dez, 15 e 20 anos de serviço a elementos dos Bombeiros Municipais do Cartaxo

O concelho do Cartaxo apagou este domingo, 10 de dezembro, 202 velas, com a inauguração de ruas e a tradicional sessão solene que sempre assinala o aniversário do Município.

A sessão solene teve lugar, este ano, no Centro Cultural do Cartaxo, praticamente cheio, que assistiu, para além das atuações da Tuna da Universidade Sénior do Cartaxo e do Rancho Folclórico do Cartaxo, à atribuição de duas Medalhas e Diplomas de Mérito Municipal e à atribuição de medalhas de cinco, dez, 15 e 20 anos de serviço a elementos dos Bombeiros Municipais do Cartaxo.

Augusto Parreira, presidente da Assembleia Municipal, foi o primeiro a tomar da palavra, para dizer aos presentes que “hoje é o dia de comemorarmos o Cartaxo e as suas gentes”, aproveitando para fazer um agradecimento público “por mais um aniversário, e a consequente valorização dos bombeiros, sublinhando não só a sua atividade profissional, cívica e de solidariedade, mas também a sua disponibilidade total perante as populações que servem e protegem, e que ficou bem patente no cenário de destruição e sofrimento, resultantes dos trágicos incêndios do último verão”.

Augusto Parreira não esqueceu os agraciados com Medalhas e Diplomas de Mérito. “É através do seu trabalho e da sua dedicação que se divulga o que de bom se faz no nosso concelho. A nossa cultura, o desporto, as tradições, a formação dos jovens e a determinação de querermos fazer mais e melhor pela nossa terra”, disse.

A finalizar, o presidente da Assembleia Municipal convidou e desafiou “todos aqueles que têm alma e essência cartaxeira a sentir e a viver o Cartaxo como seu. Sempre”.

Mais artigos
1 De 608

A anteceder a entrega de medalhas aos bombeiros, David Lobato, comandante dos Bombeiros Municipais do Cartaxo, agradeceu a homenagem feita aos bombeiros nesta cerimónia, lembrando que “existem homens e mulheres que dão o corpo ao sacrifício no cumprimento do dever. Estes homens e mulheres podiam ser chamados de heróis, mas nós preferimos ser chamados de Bombeiros”. “Este corpo de bombeiros tem sido um transmissor de tudo o que de bom que vai existindo neste concelho com 202 anos de história. Fizemos, no passado dia 25 de novembro, 81 anos ao serviço da comunidade”, prosseguiu, acrescentando que, mesmo em tempos conturbados como os que vivemos, “é reconfortante comprovar que, ainda assim, há homens e mulheres, jovens ou idosos, que sob o manto inconfundível do desinteresse e alguns de voluntariado, repartem diariamente abnegação, altruísmo, solidariedade e heroísmo”.

David Lobato agradeceu aos ‘seus’ bombeiros “pelo trabalho desenvolvido, pela entrega, abnegação, brio, pelo vosso espírito de corpo, presente todos os dias, para que até hoje tenha tudo sido justo e perfeito”.

Os bombeiros que receberam as medalhas de cinco, dez, 15 e 20 anos ao serviço dos Municipais do Cartaxo foram Hugo Silva (cinco anos); João Ferreira, Pedro Parente e Márcio Alexandre (dez anos); André Ferreira (15 anos); e Sílvio Duque, Frederico Mendes e Hugo Loureiro (20 anos).

Depois da atribuição de medalhas aos bombeiros, foi a vez de entregar as Medalhas e Diplomas de Mérito Municipal. Os distinguidos foram dois homens dedicados ao atletismo, Mário Silva e Pedro Nazareth Barbosa.

Mário Silva nasceu em Pontével a 11 de março de 1953. Ligado à Casa do Povo de Pontével e ao atletismo há mais de 45 anos, foi atleta durante 36 anos e treinador dos mais jovens há cerca de 35. Como atleta no INATEL, alcançou vários lugares no pódio a nível distrital e nacional, e como treinador foi selecionado diversas vezes para apoiar os atletas do distrito de Santarém nos Olímpicos Jovens Nacionais, tendo, também, participado em diversas ações de formação com atletas da Casa do povo de Pontével, promovidas pela federação Portuguesa de Atletismo. Foi, ainda, atleta de ténis de mesa da Casa do Povo de Pontével, integrou o Grupo Cénico e o Rancho Folclórico da Casa do Povo, e jogou futebol no Grupo Desportivo de Pontével, entre outras atividades.

Mário Silva começou por destacar que o associativismo não vive momentos fáceis, “mas, mesmo assim, ainda há pessoas que teimam, lutam para não deixar morrer as coletividades, as associações da sua terra e do seu concelho”. Quanto à distinção com que foi agraciado, disse que “é sempre importante, é sempre agradável quando alguém reconhece o nosso trabalho, a nossa dedicação”.

O outro homenageado, Pedro Nazareth Barbosa, começou no atletismo aos onze anos, participando em algumas provas de caráter popular. Começou a treinar na Casa do Povo de Pontével, onde se manteve até aos 16 anos, idade em que contraiu uma lesão com alguma gravidade. Perdeu-se, por isso, um atleta, mas ganhou-se um treinador. Sem qualquer formação, começou a treinar um grupo de amigos que treinava junto ao Jardim de Infância do Cartaxo, que participava em algumas provas. No Liceu Nacional de Santarém, ingressou no núcleo de atletismo, que foi onde fez a primeira formação, sob a orientação do professor Luís Palhoto. Com 18 anos fez o curso de monitores de atletismo e, aos 19, o curso de treinadores de 3º grau.

Integrou o GIDEC – Grupo de Intervenção Desportiva e Cultural do Cartaxo, onde formou uma equipa, formou o NAEC – Núcleo de Atletismo dos escuteiros  do Cartaxo, onde surgiram os primeiros recordes distritais nas várias especialidades, passou pela União de Santarém por pouco tempo, e integrou o Ateneu Artístico Cartaxense, onde alcançou o título de campeão nacional de pista em Juvenis femininos.

Saído do Ateneu, e a convite do estrela Ouriquense, ‘mudou-se’ para Vila de Ourique, onde foi campeão nacional de corta-mato em Juvenis masculinos, numa equipa onde estava Rui Silva.

Foi treinador da seleção nacional no Campeonato do Mundo de Juniores na Austrália, treinou a equipa da Constrolândia, e integrou a Associação Escola de Atletismo Rui Silva, hoje Associação Escola de Atletismo Correr + do Cartaxo.

“O que sinto, neste momento, é realmente uma grande alegria pela distinção que me está a ser feita por parte dos órgãos autárquicos do Cartaxo. Foram já 40 anos de atividade com jovens e com crianças que, sem dúvida, são muito gratificantes, não só pelos resultados desportivos que têm sido alcançados, mas principalmente eu sinto esse prazer quando alguém me encontra na rua, algum ex-atleta que tem agora 40 anos, e me diz ‘nunca vou esquecer aqueles momentos e foste uma pessoa importante na minha vida, para me formar como pessoa. É isso, também, o desporto”, disse Pedro Nazareth Barbosa.

A terminar, o homenageado aproveitou para deixar um apelo às entidades competentes para que tenham atenção às dificuldades das associações e coletividades, que se debatem com falta de meios financeiros. “É fundamental que a Câmara Municipal, as Juntas de Freguesia, façam um esforço e ponham no rol das prioridades um apoio mais efetivo, não só na parte logística, que tem sido feito, mas também na parte económica, porque é impossível continuarmos com este tipo de atividade sem um apoio mais efetivo por parte dos órgãos competentes”, salientou.

A terminar esta sessão solene, Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, começou por prestar homenagem aos Bombeiros Municipais, “prestar-lhes, em nome de todos nós, e agradecer-lhes, a todas as mulheres e a todos os homens que, ao longo destes 81 anos, serviram com dedicação e trabalho humanitário esta nossa corporação”.

No que respeita  aos homenageados deste ano, “pessoas a  quem o concelho muito deve”, o autarca destacou “o vosso papel pedagogo junto de tanta gente jovem em que, através da vossa ação, através do vosso exemplo, através dos vossos ensinamentos ajudaram a formar muitas das nossas concidadãs e dos nossos concidadãos. Quero, também, aqui sublinhar o vosso papel em muitas das atividades que, não sendo organizadas pelos vossos clubes, o vosso empenho, a vossa dedicação em colaborarem, e a vossa disponibilidade em estarem sempre connosco”.

Os Reis das Vindimas do concelho do Cartaxo 2017, Joana Azenheira e Oleksander Skakun, apresentaram a sessão solene.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.