MIP quer cortar trânsito de pesados em Pontével

A proposta de deliberação foi aprovada em Assembleia de Freguesia

MIP viu aprovada a proposta de deliberação “Não ao trânsito de pesados na freguesia de Pontével” apresentada à mesa da Assembleia de Freguesia de Pontével, cuja sessão ordinária decorreu na passada sexta-feira, 21 de setembro.

Na proposta apresentada, os deputados do Movimento Independente Pluralista (MIP) dizem ser “sensíveis aos anseios e preocupações dos fregueses da freguesia de Pontével, evidenciadas nas diferentes e diversas manifestações dos mesmos no que se refere à circulação de viaturas pesadas pelas estradas da freguesia, conscientes dos prejuízos e dificuldades suscitados por essa circulação”.

Segundo os eleitos do MIP, “nos últimos anos, a intensa circulação de pesados nas estradas da freguesia tem contribuído de forma significativa para a degradação das mesmas”, assim como “para a degradação de algum património predial, na medida em que as nossas estradas não foram concebidas nem estão preparadas para o trânsito de tais viaturas”, danificando “varandas e beirados de prédios”. As preocupações dos deputados do MIP prendem-se ainda com “o desrespeito pelos limites de velocidade” que, no seu entender, “colocam em causa a segurança e integridade física da população”, acrescendo ainda que “nos últimos tempos tem sido crescente a travessia das ruas da nossa freguesia por viaturas de transporte de matérias perigosas, com todos os riscos daí advenientes para pessoas e bens”.

Os deputados pretendem, com esta proposta, “que seja deliberado mandatar o executivo da Junta de Freguesia da Pontével, na pessoa do seu presidente, no sentido de transmitir ao executivo camarário e, inclusive, à Assembleia Municipal, a necessidade urgente da tomada de medidas conducentes à concretização da proibição de circulação de viaturas pesadas (com exceção das que necessitem de fazer cargas e descargas), nas entradas da freguesia de Pontével”. A concretização desta medida, segundo o MIP, “deverá passar pela colocação de sinalética proibitiva do trânsito de pesados”, com a devida exceção já assinalada.

“Nós, por princípio, somos a favor dessa proposta de o trânsito de pesados ser tirado de dentro de Pontével”, afirma José António Sobreira, do PS, questionando, contudo, se esta proposta se refere “só ao trânsito da vila, se engloba a freguesia, que ruas é que vão ser abrangidas e que alternativas é que vamos ter”. Para o deputado socialista “não basta dizermos que está mal, é preciso também darmos alternativas possíveis”. Também Hernâni Rodrigues, eleito do PSD, quis saber mais sobre a proposta, nomeadamente sobre as áreas abrangidas e quais as alternativas.

Para o presidente da Junta de Pontével, Jorge Pisca, “a proposta, para princípio, está bem elaborada, depois temos de discutir o resto para levar à Assembleia”, afirmando que “alternativas há e foram estudadas”, acrescentando que “são simples”. Segundo Jorge Pisca há viaturas pesadas, “muitas das quais transportando matérias perigosas entre as quais combustíveis”, vindas de Alcoentre que, deparando-se com a proibição de trânsito proibido a pesados à entrada de Aveiras de Cima entram pela variante e atravessam Pontével até sair na Nacional 3, na Cruz do Campo, e seguem para a Azambuja. A alternativa neste caso, segundo Jorge Pisca, é que os mesmos sigam na variante até ao Cartaxo e, pela variante do Cartaxo, voltem a apanhar a Estrada Nacional até à Azambuja. Como este, deu outros exemplos, salvaguardando a entrada de pesados na freguesia quando se destinam a cargas e descargas, e garantindo que a proposta “será bem fundamentada para apresentar à Comissão de Trânsito”.

Ler
1 De 92

A proposta foi aprovada por unanimidade.

Pode gostar também