Moonspell apresentam novo álbum em Santarém

© Irene Serrano photography

Os Moonspell vão atuar na ex-Escola Prática de Cavalaria de Santarém, no próximo dia 3 de agosto, pelas 21h45. Neste concerto de apresentação do seu mais recente álbum “1755”, a primeira parte fica a cargo da banda ribatejana, Vulture.

1755 foi o disco mais vendido de Heavy Metal em Portugal entre 2017 e 2018, e é o mais recente disco dos Moonspell, cantado em português. Uma reflexão poética, musical e filosófica da banda sobre o grande terramoto de Lisboa, a 1 de novembro de 1755, e as suas repercussões no mundo civilizado. O referido disco é tocado na íntegra nesta digressão, sendo que o alinhamento para estes concertos inclui outros temas da carreira dos Moonspell.

Musicalmente, 1755 é um disco de raiz Metal, com riffs vibrantes, orquestrações épicas e vozes e letras que testemunham a agonia daquele dia. A banda preocupou-se também em recriar a época, existindo uma fusão com elementos percussivos e melódicos que remete para os fins do século e para a atmosfera que se vivia na capital Portuguesa na altura.

Em outubro fazem a digressão final do disco 1755, onde irão aproveitar para apresentar as últimas datas dedicadas à promoção deste disco. Percorrerão, como cabeças de cartaz, toda a Europa, estendendo o feitiço também ao Reino Unido, Escandinávia, Báltico e Turquia num total de 52 datas. Em 2020 haverá disco novo.

Vulture na primeira parte do concerto
A primeira parte deste concerto fica a cargo da banda ribatejana Vulture que vive dos ritmos pesados, tensão melódica com voz crua e dura com uma mistura fresca de grunge, rock e o peso doom. “Now i Know”, é o mais recente trabalho dos Vulture, que descreve uma simplicidade embriagada, natural do estado da banda. Intoxicado e iludido é de certo a nova definição desta população resignada e individualista que prefere manter as aparências do que enfrentar mudanças difíceis.

Mais artigos
1 De 8

Com este último trabalho, a banda quer deixar uma obra autobiográfica que começou a ser documentada em 2008. Surge dez anos depois e assinala um marco importante das suas vidas pessoais e do percurso do grupo. De forma livre e demorada desenvolveram todo o material em casa, rodeados pelos campos da lezíria e sempre ao lado do Tejo, usaram este projeto para abordar temas pessoais e sociais que levantam questões que os fazem pensar, mentiras desconfortáveis ou verdades inconvenientes.

Ao longo destes dez anos, os Vulture, nos seus trabalhos, tentam manter vivas pequenas vozes que ainda resistem, para que fiquem documentadas. Segundo a banda a intenção é pedir a colaboração de vários artistas locais para enriquecer os seus projetos “trabalhar com o máximo possível de artistas locais para que possamos também documentar o seu trabalho. Fiquem atentos! Vamos trabalhar com mais artistas da nossa zona, sejam atores, músicos, artistas plásticos, fadistas ou artesãos e até tatuadores”.

Este concerto é uma organização conjunta do Município de Santarém e da Sociedade Recreativa e Filarmónica Pernense (Música Velha) e assinala o 20º aniversário do Rock da Velha.

Os bilhetes, com um custo de 5 euros estão à venda no Teatro Sá da Bandeira, BOL, Worten, CTT e Fnac. No dia e local do evento, a compra de bilhetes só poderá ser efetuada em numerário, a partir das 19h.

Pode gostar também
Comentários
Loading...