Museu do Vinho fez 32 anos com convívio entre avós e netos

A ocasião reuniu dezenas de crianças do Jardim de Infância do Cartaxo e algumas dezenas de seniores das instituições do concelho

Foi uma manhã de festa animada, a desta quinta-feira, em que o Museu Rural e do Vinho do Concelho do Cartaxo, na Quinta das Pratas, comemorou os seus 32 anos de existência.

A ocasião reuniu dezenas de crianças do Jardim de Infância do Cartaxo e algumas dezenas de seniores das instituições do concelho que, juntos à mesa, realizaram trabalhos de Natal com materiais reciclados.

Ainda antes da atuação da Tuna da Universidade Sénior do Cartaxo já todos ostentavam, orgulhosamente, renas e anjinhos, feitos com rolhas de cortiça, pedaços de ramos, arames e pratas.

E se a festa já tinha começado com este convívio entre avós e netos ‘emprestados’ por umas horas, ainda ficou mais animada quando, no Auditório, se ouviram os primeiros acordes de outros avós, os da Tuna que, com a sua alegria contagiante, puseram todos a bater palmas, a cantar a uma só voz muitas músicas populares portuguesas, e a bater o pé nas cadeiras. Até deu direito a uns ‘pezinhos de dança’!

Mais artigos
1 De 607

E se, até aqui, tinham sido os mais velhos a dar música, os papeis inverteram-se, e os mais pequenitos tomaram a liderança na hora de cantar os parabéns ao Museu. A ocasião foi assinalada com um bolo de aniversário e vinho da Adega do Cartaxo e com muitas cantorias, já que a Tuna não quis deixar os seus créditos por ‘mãos alheias’ e improvisou mais um pequeno espetáculo.

Este aniversário foi aproveitado por Elvira Tristão, vereadora da Cultura na Câmara Municipal, para lembrar que “o Museu Rural e do Vinho é a nossa história e a nossa identidade, e é aqui que nós nos encontramos todos para recordar o passado e viver o presente, os mais novos e os mais velhos”.

Salientando que “para uma cidade jovem, este já não é um Museu assim muito novo”, a autarca destacou que “ainda tem muito para dar e esperamos vir a fazer muitas atividades para vós e, para na próxima vez, se calhar, juntarmos aos avós e aos netos também os pais”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.