Musicoterapia: desde o ventre materno à Terceira Idade

por Raquel Marques Rodrigues

Quem é que já sentiu arrepios ao ouvir uma canção de amor? Quem ficou eufórico com a sua música de eleição? Ou simplesmente ficou com os cabelos em pé por ter um vizinho fã de heavy metal? Independentemente do estilo musical, penso que a opinião é unânime: a música faz-nos bem e deixa-nos felizes.

Ao assistir ao concerto musical solidário “ A revolta das notas musicais”, no Centro Cultural do Cartaxo, deixo-me levar pelo despertar de emoções que a música me transmite. Paira em mim um turbilhão de questões sobre este tema. Do carro para casa, ligo o rádio e oiço música. Chego a casa, ligo a tv e procuro música para descontrair. Afinal, que significado tem a música na minha vida? Porque dizem que a música é a cultura de um povo?

A música está presente nas nossas vidas, desde a pré-história à atualidade: em festas, celebrações, rituais. Ela marca momentos importantes na nossa infância, juventude e até na reforma.

No meu dia-a-dia, em contexto profissional, a música é uma atividade apreciada pelos séniores. Dizem eles que quem canta seus males espanta. Sem dúvida, uma grande verdade. Cantar alivia as dores e as chagas de uma vida árdua de trabalho.

Recorrer a musicoterapia traz benefícios físicos e mentais para a todos os setores da população. Trata-se de uma terapia alternativa que permite melhorar a qualidade de vida através da prevenção, reabilitação ou tratamento de doenças.

Todos sabemos que a música é saudável, para o corpo e para a mente: facilita a comunicação, a expressão e promove a socialização.

Mais artigos
1 De 35

Mesmo sem rádio, todos os sons da natureza transformam qualquer paisagem numa melodia natural: chuva, trovoada, vento, mar, o canto dos pássaros. Ela é a nossa linguagem universal. Já se imaginou viver sem música? Eu não!!

A Música para mim é uma paleta de emoções: pinta expressões de sentimentos e transforma telas de tristeza em alegria. Na nossa mente há sempre uma trilha sonora que nos remete para momentos da vida que nos traz saudade e boas memórias. Adormeço e acordo embrulhada em todas as notas musicais, são os meus melhores sedativos. É impossível não gostar de música. Conseguirias viver sem ela?

Pode gostar também

Comentários estão fechados.