No reino do faz-de-conta

Opinião de Jorge Honório

PNR 2016-2020. O Programa Nacional de Reformas 2016-2020 foi apresentado pelo Governo, no final de Março, aos parceiros sociais que consideraram o documento vago e omisso em matérias fundamentais. Para o presidente da CCP, o programa é muito genérico e não tem grande conteúdo estratégico. Para o secretário-geral da CGTP, apesar de o documento ser “vago em algumas coisas e omisso noutras, tem aspectos positivos, como a valorização da qualificação” (!!!), mas aponta três eixos fundamentais que não constam do programa nacional de reformas do Governo: emprego, contratação colectiva e legislação laboral. Surrealista!

BES – NOVO BANCO. A nacionalização do Novo Banco não é uma via rejeitada à partida pelo Governo, indicou o primeiro-ministro em resposta a uma intervenção de Jerónimo de Sousa, que classificou a venda do banco como contrária ao interesse do país; também as manas Mortágua, família de há muito especializada em Bancos, corroboram esta posição. Moral da história: ficam todos bem, os que roubaram e os que tinham lá o dinheiro… e quem paga sou eu, tu e mais uns quantos que nem conta lá tínhamos!

SEGURANÇA NACIONAL. Após o atentado de Bruxelas, uma vez mais, as redes sociais foram inundadas por mensagens de apoio e hashtags que se tornaram virais. O Facebook criou uma treta para pormos por cima das nossas fotografias de perfil; também os políticos vão falar, falar e falar… mas nada vai mudar, como todos bem sabemos. Se nos preocupamos com a nossa segurança, então não percamos tempo com palavreados e frases bonitas e exijamos que as Forças de Segurança sejam bem treinadas, bem equipadas e bem tratadas, pois são os únicos que nos podem proteger.

Enfim… continuamos no reino do faz-de-conta!


 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.