Nova direção do Rancho do Cartaxo já está em funções

835

Já tomaram posse os novos corpos sociais da Associação Cultural e Recreativa Rancho Folclórico do Cartaxo, eleitos em Assembleia-geral extraordinária, no passado dia 26 de janeiro.

Assim, para o biénio 2019/20, foram eleitos Francisco Catalão como presidente da direção, acompanhado de Gualter Pêgo, Rosário Feteira, Elisabete Mota e Helena Blanco. Délio Pereira mantém-se presidente da Mesa da Assembleia, com Carla Fortes e Marta Melo e no Conselho Fiscal estão José Duarte, Maria José Barros e Rosa Moreira.

A tomada de posse aconteceu este sábado, 9 de fevereiro, numa sessão bastante participada, na Casa do Povo do Cartaxo.

A ocasião foi aproveitada pelo novo presidente da direção para dizer que “eu tentei puxar um pouco de cada secção para estes órgãos sociais. Temos o rancho presente, temos teatro e temos as Cantigas da Terra”.

“O projeto que nós temos é não deixar nenhuma secção para trás”, continuou Francisco Catalão. No entanto, e no que respeita às Glórias Vivas, apesar de existirem há 21 anos, “nós sabemos que tudo começa e algum dia tem de acabar, porque a idade já pesa. Sabemos que vale mais fazermos uma boa exibição do que andarmos para ali. Coxos ou não, é melhor fazermos uma boa secção, uma boa exibição, do que andarmos ali só para dizer que temos. Não vamos fechar os olhos, porque é a realidade”. Assim, o projeto contempla o rancho infantil e o adulto, “e vamos tentar que os elementos das Glórias sejam inseridos no adulto, naquilo que conseguirem fazer, se calhar, não a dançar, mas porta-estandarte, na parte musical”.

Apesar de a situação financeira da Associação estar estabilizada e saudável, o rancho do Cartaxo sofre com os mesmos problemas de outros grupos semelhantes: o número cada vez mais escasso de dançarinos. Francisco Catalão garante que, juntamente com elementos mais velhos do grupo, “vamos tentar falar com alguns elementos que já cá estiveram e que, provavelmente, são capazes de voltar. Espero contar com alguns deles, mas não é o suficiente para se fazer um bom festival”.

Mais artigos
1 De 80

No que respeita ao Plano de Atividades, a direção apresentou a realização de uma Noite de Fados, um passeio BTT, o Baile da Pinha, festivais de folclore nas Festas da Cidade (adulto) e na Feira dos Santos (infantil), um encontro de Zumba, um encontro de música popular portuguesa (Feira dos Santos), mais uma revista à portuguesa, a presença na Feira dos Santos e um almoço convívio de fim de época de folclore.

Pode gostar também
Comentários
Loading...