O poder da palavra

Por Gina Florindo

Quantas vezes dizemos algo que, na realidade, não sentimos, mas dizemos? O equilíbrio da vida e do nosso Ser, passa pela assertividade entre o que pensamos, dizemos e sentimos.

Quantas vezes pronunciamos palavras sem sentido, que dizemos “estava a brincar”, são as chamadas “bocas”, enquanto isso já magoei alguém, ou vamos mascarando as nossa próprias mágoas, complexos, angústias, etc. Debaixo de uma série de palavras que nos vão entretendo, vamo-nos afastando da verdadeira essência da vida, afastamo-nos da família, afastamo-nos dos amigos, muitas vezes pelo que se diz de forma inconsciente, só para não se estar calado.

As palavras têm muita força. Em primeiro lugar, em nós mesmos, quando falamos plantamos sementes, se falamos palavras com sentindo, com nexo, com amor, vamos colher da vida com a mesma vibração, bem como o contrário. Relembro-vos uma metáfora centenária que toda a gente conhece “quem semeia ventos, colhe tempestades”.

Pavlov defendia que as palavras criam mundos, então ao escolhermos palavras certas no momento certo, estamos a caminhar no caminho certo, “vida é um caminho que se faz caminhando”

Muitas vezes condicionamos o que o Universo tem de bom para nós com lamentações derrotistas. Nós somos criadores das nossas próprias circunstâncias que se alinham com os nossos pensamentos e palavras. Se não gostamos do que vivemos, vamos reflectir sobre o assunto e vamos mudar o que há para mudar, se não concordamos com as atitudes das pessoas que nos rodeiam, vamos manifestar por palavras o que não concordamos, palavras de coração de modo a que as circunstancias mudem, mas precisamos de ser nós a faze-lo de forma assertiva. Somos seres relacionais e uma das formas de nos relacionarmos, se não a mais importante, é o dialogo/ palavras.

Mais artigos
1 De 8

Os nossos pensamentos manifestam-se em palavras e estas em atitudes, o conjunto de atitudes formam os comportamentos. Se queremos que a nossa vida mude precisamos mudar tudo. Se não gosta da sua casa, pensa em mudar a casa! O que faz? Precisa estudar o que quer mudar, mas precisa mudar, certo? Nós somos a mesma coisa.

Vivemos um tempo de despertar da nossa consciência, o que significa estar no aqui e no agora. Precisamos de adquirir Mestria dos nossos pensamentos para que as nossas palavras sejam cada vez mais cuidadas, para mudarmos as nossas atitudes e os nossos comportamentos, logo tudo muda na nossa vida.

“A vida é como uma pauta de música, com as nossas palavras/ atitudes/ comportamentos, temos a capacidade e a oportunidade de fazer uma linda sinfonia ou uma grande cacofonia”.


Gina Florindo é Mestre de Reiki, Facilitadora de Cura Reconectiva/Reconexão, Numeróloga e Hipnoterapeuta

Pode gostar também

Comentários estão fechados.