Ode ao jornalismo

Opinião de João Fróis

Vai já no seu quinto ano o projeto jornalístico que devolveu identidade ao Cartaxo. Em boa verdade, o Jornal de Cá preencheu uma lacuna muito relevante numa pequena cidade a braços com uma crise financeira e identitária profundas. Com profissionalismo e espírito de missão deu voz às pessoas, abrangeu com isenção todas as atividades sócio-culturais que vão acontecendo nas freguesias e criou uma nova proximidade de informação essencial e positiva onde todos cabem sem exceção.

Vivemos tempos desafiantes e que não deixam ninguém indiferente, tais os ventos de transformação que vão abalando as antigas estruturas. O jornalismo há muito que se deitou no sofá do psiquiatra, tentando encontrar novos rumos e formas de sobreviver num mundo cada vez mais digital e concorrencial. Os perfis tornaram-se um enigma, havendo mais dúvidas que certezas entre todo o espaço que o generalismo esvaziante e os nichos premium pagos vão ocupando numa luta sem tréguas.

A informação de proximidade é um dos caminhos mais profícuos a desenvolver e que o Jornal de Cá abraçou desde o início. Abordar transversalmente toda a realidade da região é um desafio permanente mas que tem sido conseguido com competência e rigor assinaláveis. Congratulo-me com o sucesso do projeto e do qual sou assinante e onde assino mensalmente uma coluna de opinião, espaço este onde agora parabenizo a sua saudável existência.

Vivendo na cidade invicta, é no Jornal de Cá, nas edições de papel e digital, que vou acompanhando as vivências da minha terra e percebendo os desafios que se vão colocando a quem dirige os seus destinos, a quem aí vive e trabalha e a todos os que olham para o futuro com preocupação natural face a uma passado recente nebuloso. Neste sentido o Jornal de Cá permite que a partilha de informação ajude a criar ou manter alguma da identidade que o Cartaxo granjeou outrora e que anda dispersa.

Os prémios Cartaxo d’Ouro trouxeram honorabilidade a quem luta no e pelo Cartaxo, dando expressão a rostos invisíveis e mostrando que são muitos mais os que acreditam que os que desistiram de o fazer. Também aqui a missão é nobre, altruísta e ao serviço da população. O desafio é de todos e ajudar a que o Jornal de Cá seja cada vez mais forte e capaz é um imperativo de cidadania e participação coletiva. Seja pela assinatura, pela escrita, pela participação direta e indireta em eventos, pela disponibilidade para aí publicitar e abrir novas oportunidades.

O meu obrigado a toda a equipa, pelo esforço diário, pelo empenho em criar conteúdos significantes, em dar mais vida ao Cartaxo com os seus contributos inestimáveis. Bem hajam todos! O futuro é hoje.

Pode gostar também