OE “alivia” Lei dos Compromissos

 

Os socialistas do concelho do Cartaxo reuniram na passada sexta-feira, 4 de novembro, em Convenção Autárquica. Esta Convenção contou com as intervenções de Elvira Tristão, presidente da concelhia do Cartaxo, Diogo Martins, coordenador da JS Cartaxo, Mário Balsa, secretário distrital para a Organização, em representação do presidente da Federação Distrital, Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, e Maria da Luz Rosinha, secretária nacional para as Autarquias, em substituição da deputada e secretária-geral adjunta, Ana Catarina Mendes.

A presidente da concelhia lembrou a constituição da Comissão Instaladora do PS Cartaxo, constituída em 31 de outubro de 1974, lembrando que “a liberdade só fará sentido se for para todos”.

O líder dos jovens socialistas do Cartaxo, Diogo Martins, realçou que esta Convenção realiza-se “num momento crucial para fazer a avaliação do que tem sido feito até aqui”.

convencao_socialistasJá Mário Balsa considerou que “2017 vai ser um ano muito difícil”, já que manter o mesmo número de câmaras municipais “não é tarefa fácil”.

Esta Convenção serviu para apresentar o Orçamento Municipal 2017. Pedro Ribeiro lembrou os três anos que já leva o mandato, mas também as propostas que a maioria socialista apresenta para 2017.

Mais artigos
1 De 505

Assim, as apostas do executivo vão para a conclusão da revisão do PDM (Plano Diretor Municipal), a implementação da Carta do Investidor para a dinamização da economia local, arranjar a rede viária, reabilitar os espaços verdes, a construção do Centro Escolar de Pontével, e para investimentos relativos à mobilidade e regeneração urbana.

A secretária nacional para as Autarquias, Maria da Luz Rosinha, afirmou que o Orçamento de Estado 2017, já aprovado na generalidade, tem um conjunto de facilidades “que não serão ainda muito aplicáveis ao caso do Cartaxo, por causa da sua situação financeira”. Não obstante, Maria da Luz Rosinha acrescentou que vai existir um conjunto de medidas que “libertam os municípios desta asfixia”.

Esta responsável garantiu, ainda, que a Lei dos Compromissos traz, através do Orçamento de Estado 2017, “alguma abertura”, nomeadamente no que respeita à possibilidade de contratação.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.