Onicofagia – Sabe o que é?

Há especialistas que explicam o vício de roer as unhas, onicofagia, como um distúrbio emocional de causas variadas e ligado a problemas como a ansiedade.

O hábito de roer as unhas começa, normalmente, na infância ou no início da adolescência, sendo que metade das pessoas em idade escolar apresenta este distúrbio, tão difícil de superar quanto o tabagismo.

Não é um problema somente estético

Estudiosos do caso lamentam que este hábito seja pouco considerado por médicos, que muitas vezes ignoram os seus malefícios, nomeadamente no que diz respeito a problemas nos dentes e gengivas, já para não falar nas infeções que se podem criar nos dedos pela entrada de bactérias nas zonas afetadas da pele. As mãos (e os pés – há também quem os roa) são grandes portadoras de microrganismos, que vivem por baixo das unhas, que acabam por ser transportados para dentro do corpo em grandes quantidades. Esses microrganismos podem ser vírus, bactérias ou fungos, agentes que podem causar uma grande variedade de doenças.

Especialistas nesta área referem que o hábito de roer as unhas (e até a pele dos dedos) inicia-se, por norma, na infância, como um ato normal de explorar e cuidar do próprio corpo que pode passar com o crescimento, mas também pode manter-se como um hábito nervoso relacionado com um nível de ansiedade intenso e constante que pode tornar-se patológico, na adolescência e manter-se presente para o resto da vida. Este hábito pode também iniciar-se na infância pela imitação: os filhos de pais que roem as unhas têm tendência para os imitar, como em tantas outras coisas. Depois, o problema é facilitado pelo facto de as unhas estarem sempre acessíveis, em momentos mais tensos, tornando-se num hábito que acaba por ter uma função de alívio.

Como largar este vício

Mais artigos
1 De 276

Há vários truques para deixar de roer as unhas. Uma delas é usar um inibidor, que funciona como uma espécie de verniz para as unhas, cujo sabor pode dissuadir o gesto de levar os dedos à boca. Também a moda das unhas de gel postiças pode ser um fator dissuasor, visto que depois de ver as mãos com umas unhas bonitas inibe a pessoa de as roer e ajuda a que a verdadeira unha cresça por baixo. Manter as mãos ocupadas com algum objeto ou entreter a boca com rebuçados ou pastilha elástica também pode ajudar a evitar levar as mãos constantemente à boca para roer as unhas. Há ainda quem sugira usar luvas ou até adesivos enrolados na ponta dos dedos o que, de uma forma ou de outra, para além de evitar o contacto direto com as unhas pode ser uma forma inibidora de, em certas ocasiões mais solenes, voltar a roê-las, pois são formas pouco bonitas de se apresentar em público e levam a uma maior introspecção, que poderá ajudar a deixar de “estragar” dedos e unhas.


Pode gostar também

Comentários estão fechados.