Parreirita Cigano triunfa na corrida de alternativa no Campo Pequeno

Ao Jornal de Cá, Parreirita já disse estar muito feliz com mais este triunfo

 

Foi um êxito retumbante a corrida de alternativa de Parreirita Cigano, que se realizou esta quinta-feira na catedral do toureio a cavalo português, o Campo Pequeno, segundo os muitos aficionados que assistiram a esta corrida e com quem o Jornal de Cá teve oportunidade de conversar.

Parreirita venceu o concurso para o Triunfador da Corrida e, por isso, vai integrar o cartel da corrida da próxima quinta-feira no Campo Pequeno, juntamente com o colombiano Jacobo Botero, que integrou o cartel desta quinta-feira.

As centenas de cartaxeiros que acompanharam Parreirita num dos momentos mais importantes da vida do jovem cavaleiro tauromáquico deram o seu tempo por bem empregue. Parreirita transmitiu sobriedade e emoções fortes com o seu toureio, segundo o especializado Farpas Blogue: «Parreirita veio para ficar! Diziam antes que Parreirita Cigano era meio inconsciente e que aqueles ferros carregados de ousadia e irreverente valentia eram só por acaso, que um dia ainda acontecia uma tragédia. Qual tragédia, qual inconsciência, Parreirita está um toureiro sóbrio, digo mesmo, consagrado, um toureiro que se impôs pelo seu valor e pela diferença que insiste em marcar e ontem marcou uma vez mais. Teve, apenas e só, uma alternativa notável. Uma alternativa brilhante a todos os títulos. Merece voltar na próxima quinta-feira, porque assim o decidiu unanimemente, sem lugar para dúvidas, o júri composto pelos críticos Manuel Andrade Guerra e Joaquim Tapada e pelo editor da “Flash”, Hélder Ramalho.

Esteve senhor da situação, transmitiu segurança e evidenciou sobriedade e serenidade, muita atitude e um valor à prova de bala. Brilhante nos dois compridos, galvanizou o público com os curtos em terrenos de alto compromisso e em sortes de alto risco, saindo airosamente e bregando como quem sabe o que faz. Nota altíssima para uma das mais memoráveis alternativas dos últimos tempos no Campo Pequeno».

Mais artigos
1 De 3

Destaque, ainda, para os 40 anos de alternativa de Manuel Jorge de Oliveira, cavaleiro azambujense há muito radicado no Cartaxo, e que foi o padrinho de alternativa de Parreirita Cigano. Generoso, Manuel Jorge de Oliveira chamou o seu afilhado à arena para repartir com ele a lide do segundo toiro da noite.

Segundo o Farpas Blogue, “quem é rei, jamais perde a majestade”: «Tal como a alternativa do seu padrinho e seu mestre, há 40 anos, que muitos ainda hoje recordam e ontem relembraram certamente na lide carregada de emoção que Manuel Jorge de Oliveira fez questão de repartir com Parreirita, depois de cravar dois compridos meio à defesa, o que é compreensível, acusando o peso de não tourear há quatro anos e de ter pela frente não um toiro cómodo, mas um toiro de verdade e que pedia contas. Louve-se o seu gesto de aceitar regressar por uma noite com uma ganadaria dura. É de homem. E de homem bravo, que foi coisa que ele foi sempre.

Mais sereno e mais confiado no duo com Parreirita, Manuel Jorge cresceu e inspirou-se e como quem é rei nunca perde a majestade, vimo-lo cravar três curtos à antiga, a entrar pelo toiro dentro e a quartear-se num palmo de terreno, vencendo o piton contrário e cravando de alto a baixo como nos ensinaram os antigos».

Depois de ter vencido o troféu revelação Farpas/Volapié, Parreirita afirmou-se na noite desta quinta-feira como um valor seguro e a ter em conta na tauromaquia nacional.

Ao Jornal de Cá, Parreirita já disse estar muito feliz com mais este triunfo. “Esta alternativa foi muito boa, foi muito digna. Foi a realização de um sonho”, salientou. Ainda para mais, com um padrinho como Manuel Jorge de Oliveira, “que sempre me apoiou, que me ensinou tudo e que me proporcionou muitas coisas”, acrescentou Parreirita.

Apesar de reconhecer que a tauromaquia não ‘abre portas’ aos novos valores facilmente, Parreirita Cigano diz notar que a aposta na juventude é grande na catedral do toureio nacional. “O Campo Pequeno tem sido uma grande ajuda, quem triunfa, toureia”, realça.

Para já, Parreirita tem agendadas 15 corridas, muitas delas em praças icónicas, como a Nazaré, Albufeira, “onde fiz parte da preparação no ano passado”, Figueira da Foz, onde vai integrar uma Corrida de Gala à Antiga Portuguesa, ou Coruche.

Recorde-se que a Câmara do Cartaxo proporcionou a cerca de uma centena de cartaxeiros transporte gratuito para esta corrida de toiros, à semelhança do que fez a Câmara de Azambuja. Os utilizadores destes transportes, que apenas tiveram de adquirir os bilhetes, foram, maioritariamente, pessoas com alguma idade que, de outra forma, não teriam tido a oportunidade de ir apoiar os seus conterrâneos.

 

Fotos ©Vitor Neno

Pode gostar também

Comentários estão fechados.