Porque não investir num skate park?

Por Verónica Cotrim

Recentemente vi-me frente a frente com uma pergunta, da qual tenho vindo a ter algum receio de não saber responder prontamente.

Durante uma entrevista de emprego, o recrutador, enquanto analisava o meu currículo, perguntou-me o seguinte: “então, enquanto representante dos skaters e bmx’ers do Cartaxo, supondo que eu sou um investidor, como me convenceria a apostar no produto que está a vender?”

Devo admitir que paralisei. Pela primeira vez na minha vida, não tinha uma resposta que satisfizesse a pessoa que me fazia a pergunta. Como é que eu iria convencer alguém a apostar num produto, que nem estou a vender, se nem consegui que o recrutador ficasse suficientemente satisfeito para me deixar formular uma resposta coerente sem interromper e me fazer recomeçar?

Apercebi-me depois que não havia resposta possível. Não é possível convencer um investidor a fazer um investimento em algo que nunca lhe irá dar lucro. Um skate park não tem qualquer valor económico, apenas valor turístico, no máximo.

Então como é que convenceria um investidor que deveria apostar no produto que estou a tentar “vender”? Que, mesmo não tendo lucro, era um bom investimento e uma boa aposta? Como é que convenço quem quer que seja que o skate park do cartaxo deve ser reerguido, mesmo depois da fatalidade que lá aconteceu?

Mais artigos
1 De 3

Só me ocorre uma resposta: porque não?

Exato, porque não investir no skate park do cartaxo? Afinal, o skate, a bmx, os patins e tudo mais são apenas desportos e artes, tal como o futebol, basquete, ténis, natação, ginástica acrobática, com trampolins e rítmica, dança contemporânea e de salão, música, ballet, artes plásticas, atletismo…

A lista que citei acima são tudo desportos e artes que existem ou já existiram no cartaxo, e têm ou já tiveram o seu espaço para serem praticadas. Então porque é que estão a deixar o skate, a bmx e tudo o resto de lado? É pelo que lá aconteceu?

Quanto a essa enorme tragédia, quero começar por dar as minhas sinceras condolências à família, amigos e conhecidos da pobre alma que lá perdeu a vida. É realmente uma tragédia. Não devia ter acontecido. Não faz sentido. Não é justo. E nada do que possa ser dito ou vos possa ser dado vai trazê-lo de volta, mas o que eu posso dizer é: fatalidades acontecem. Todos os dias.

Nicholas Faher morreu de ataque cardíaco em pleno jogo de futebol. Eu e todo o país vimos a sua morte em direto, ou ao vivo. O jogo parou ali. Durante mais de uma semana não se falou de outra coisa. Foi uma enorme perda, ninguém entendeu como tal pode ter acontecido, mas não foi por isso que o futebol acabou ou que se deixou de construir estádios, antes pelo contrário.
Pelo menos uma vez por semana, em média, ocorre, algures no mundo, um enorme acidente de aviação, no qual morrem centenas ou milhares de pessoas. É horrível, não devia ser assim, é triste, mas estas coisas acontecem. Os pilotos são humanos e os controladores de tráfego aéreo também. Isto vai sempre acontecer, e nós sabemos perfeitamente disso. No entanto, não deixamos de andar de avião, não deixamos de viajar, e, pelo menos, é inaugurado um aeroporto por ano, algures no mundo (em média).

Posto isto, volto a perguntar: porque não investir num skate park? Qual é a diferença entre o skate, bmx, etc, e os outros desportos? Porque é que todos os desportos têm o seu sítio para serem praticados, e, no entanto, quem pratica skate, bmx ou o que seja tem que improvisar? Não seria mais seguro para todos se eles tivessem o seu sítio, para treinar em paz?

Eu acredito piamente que seria, pois tal como todos os outros desportos, o skate tem muitos riscos, tanto para quem o pratica como para quem está ao redor: pode escapar dos pés do dono durante uma manobra mal dada e magoar severamente uma criança ou uma pessoa de idade mais avançada. Tanto um skater como um bmx’er não vê mais nada em seu redor quando está concentrado em dar aquela manobra mais difícil, e pode derrubar facilmente alguém que ia simplesmente a passar e não reparou num obstáculo ambulante a ir na sua direção, e o pior é que 9/10 casos, é a outra pessoa que se magoa.

Existem muitos outros riscos, que creio que poderiam ser evitados com o investimento certo de tempo e dinheiro.

Mas, claro, isto é apenas a minha opinião…

Saudações investidoras

Pode gostar também
Comentários
Loading...