Poupar nas despesas domésticas com eficiência

Dê preferência a equipamentos energeticamente mais eficientes, para além de ser solidário com o ambiente, reduzindo o consumo de energia, está ainda a poupar dinheiro

Se está a pensar remodelar a sua cozinha, comprar equipamentos eléctricos ou substituir os lá de casa, opte por equipamentos energeticamente mais eficientes e saiba que, desta forma, vai poupar energia e também o ambiente. Atualmente, existe uma grande variedade de opções de equipamentos, todos eles munidos de uma etiqueta energética, que deverá consultar, para fazer a escolha mais acertada. Vai ver que no fim do mês nota a diferença nas contas da energia.

Etiqueta energética

A etiqueta energética, obrigatória em aparelhos eléctricos como máquinas de lavar e secar roupa, máquinas de lavar loiça, frigoríficos e combinados, fornos eléctricos, aparelhos de ar condicionado e iluminação, fornece informação sobre a eficiência energética dos equipamentos, os consumos de energia, os rendimentos, a capacidade, o ruído, entre outras, sendo útil na comparação de equipamentos semelhantes, auxiliando na seleção dos equipamentos mais eficientes.

Das sete classes existentes, a mais eficiente a é classe A e a menos eficiente a classe G. No caso das etiquetas para os equipamentos de frio, existem ainda duas classes suplementares (A++ e A+), que correspondem a um nível de eficiência energética mais elevado.

E desengane-se se pensa que os equipamentos eficientes são mais caros. O custo de aquisição dos equipamentos não é directamente proporcional à sua classe de eficiência energética; há outras variáveis que influenciam o preço, como a marca, as funcionalidades e a estética. Informe-se bem e compare os preços.

Mais artigos
1 De 276

Uso eficiente

A poupança no custo de utilização de um equipamento mais eficiente depende ainda do tipo de equipamentos e da utilização que se fizer dos mesmos. No caso de um frigorífico ou congelador, deve optar-se por um equipamento de baixo consumo de classe A+ ou A++, que utilizam cerca de metade da energia consumida por um dos antigos modelos.

Mas antes de decidir deverá escolher um modelo adequado às suas necessidades, evitando adquirir um grande frigorífico ou congelador se a sua família for pequena ou se compra pequenas quantidades de comida de cada vez, isto porque, quanto maior o volume de refrigeração ou congelação, mais elevado será o consumo eléctrico.

Outros cuidados a ter na utilização adequada do frigorífico ou do congelador têm a ver com o sítio ideal para a sua colocação, que deverá ser o local mais frio da cozinha, afastado cerca de dez centímetros entre a parede e a parte traseira para facilitar a circulação de ar pela grelha. Para além disso, estes aparelhos devem ser limpos frequentemente, evitando a acumulação de pó no condensador (grelha traseira), e descongelados sempre que a camada de gelo acumulada seja significativa (cerca de 5 mm). Não esquecer ainda que o termóstato do frigorífico deve ser regulado conforme as necessidades e a época do ano e, muito importante, a porta deve ser aberta o menor número de vezes possível e durante pouco tempo, visto que influencia o desempenho energético dos equipamentos, exigindo um maior consumo.

Poupar com as máquinas de lavar

Também as máquinas de lavar loiça e roupa são mais eficientes quando de classe A. Ainda assim, antes de decidir deve ler bem a etiqueta referente à energia para ver qual o consumo de energia (expresso em kWh/ciclo) e o consumo de água (indicado em litros por ciclo de lavagem) e, só depois, seleccionar o modelo mais eficiente, tendo ainda em conta as necessidades da sua família, em termos de capacidade.

Utilize sempre a carga máxima, de modo a rentabilizar o processo de lavagem, adequando os programas de lavagem ao grau de sujidade da loiça ou roupa. No caso da máquina de lavar loiça, sempre que a loiça não estiver muito suja, utilize o programa económico, que limita a temperatura lavagem/secagem a 50-55ºC, diminuindo a quantidade de água necessária e poupando energia. Também no caso da roupa, as temperaturas usadas devem ser baixas, a não ser que se trate de roupa muito suja.

Em ambos os casos, para além de se recomendar o uso e manutenção dos aparelhos conforme indicações do fabricante, lembramos que a limpeza do filtro é essencial para garantir um consumo energético adequado. Devem usar-se detergentes específicos na medida certa, nunca em excesso, evitando mais poluição. E para poupar ainda mais energia, programe as lavagens para a noite.

Fornos e microondas

Ao escolher o modelo mais eficiente (classe A) e adequado às suas necessidades, deverá dar preferência a fornos eléctricos com ventilação, por fazerem a circulação do ar quente e estabelecerem uma temperatura homogénea no interior do forno, reduzindo o consumo de energia, e permitirem cozinhar diferentes alimentos ao mesmo tempo, poupando energia. Para ser usado nas melhores condições, enquanto se cozinha, a porta deve estar bem vedada e ser aberta o menos possível, pois desperdiça calor e consome mais. Outro truque para poupar mais é desligar o forno dez minutos antes do tempo indicado para finalizar o cozinhado; a temperatura manter-se-á ainda durante algum tempo, sem gastar energia.

Tratando-se de refeições mais pequenas, os microondas são o ideal, pois consomem cerca de 50 por cento da energia consumida pelos fornos tradicionais; basta não precisarem de pré-aquecimento e cozinharem os alimentos mais rapidamente. Também para estes aparelhos há truques para poupar ainda mais energia, como os práticos suportes que possibilitam aquecer dois pratos, em simultâneo. Tire maior partido do seu microondas adquirindo manuais e guias informativos sobre as capacidades deste eletrodoméstico na sua cozinha, poupando tempo e energia e ganhando na saúde.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.