Prémios Cartaxo d’Ouro estão de volta ao CCC

A terceira gala, promovida pelo Jornal de Cá e revista DADA, continua a distinguir os valores do nosso concelho, num espetáculo a não perder

Pelo terceiro ano consecutivo, e após dois grandes espetáculos com casa cheia, os Prémios Cartaxo d’Ouro estão de volta ao Centro Cultural do Cartaxo para distinguir os que mais se destacaram, desde o último trimestre de 2018 até agora, em áreas como a Cultura, Desporto, Economia e Sociedade. Como habitualmente, os Prémios Cartaxo d’Ouro reservam uma surpresa para esta noite com o prémio Personalidade do Ano, atribuído pelo Jornal de Cá e pela revista DADA, promotores deste evento.

Como vem sendo apanágio da organização do evento, este ano, no dia 21 de setembro, podemos esperar um espetáculo abrilhantado pelas gentes do nosso concelho, numa noite cheia de talento em palco e orgulho na plateia. Os aplausos são garantidos para quem esta noite pisa o palco: para quem participa no espetáculo e para os premiados da noite.

Para chegar aos premiados desta grande gala foi reunido um júri, para escolher os três nomeados em cada categoria (Cultura, Desporto, Economia e Sociedade), este ano composto por Ana Catarina Vieira, Hernâni Rodrigues e Artur Caetano.

Encontrados os nomeados, cabe agora aos nossos leitores votar nos seus favoritos no sítio na internet do Jornal de Cá (jornaldeca.pt), durante a semana anterior ao evento e lembramos que, para ser válida, a votação terá de ser obrigatoriamente feita em todas as categorias e não apenas numa. Fique atento e participe!

Os nomeados para os Prémios Cartaxo d’Ouro 2019 são:

Cultura

Na categoria Cultura, os nomeados distinguiram-se, ao longo do último ano, pelos seus desempenhos nas áreas do cinema, música e incentivo à leitura.

Paulo Antunes Está nomeado Paulo Antunes, jovem realizador de Pontével, que esteve em destaque na comunicação social nacional, pela estreia do seu documentário “Um punk chamado Ribas”, em maio deste ano, com casa cheia, no Festival Internacional de Cinema – IndieLisboa. Um trabalho cinematográfico que é um importante documento de homenagem ao vocalista dos Censurados e Tara Perdida, falecido em 2014, um dos nomes maiores do punk nacional, que influenciou “várias gerações de jovens, músicos e um sem-número de outras bandas”.

Barril de Livros Também nomeado nesta categoria está o Barril de Livros, uma iniciativa da Junta de Freguesia de Vila Chã de Ourique, com o objetivo de “facilitar o acesso dos fregueses a obras que, de outra forma, não conheciam. E fomentar a partilha, já que o objetivo é que os leitores também disponibilizem os seus livros naquele espaço”, disse Vasco Casimiro, presidente da Junta, aquando da inauguração do espaço dedicado à leitura, no jardim central da vila. O sucesso tem sido tal que, regularmente, a Junta tem de retirar e trocar alguns livros e até já procura parceiros que ajudem a estender a iniciativa a outros locais da freguesia.

Grupo Musical do Agrupamento Marcelino Mesquita do Cartaxo O terceiro nomeado na área da Cultura é o Grupo Musical do Agrupamento Marcelino Mesquita do Cartaxo. Cerca de uma centena de meninos e meninas, dos 1º, 2º e 3º ciclos deste agrupamento de escolas, no final do ano passado, subiram ao palco do Centro Cultural para, perante uma plateia cheia e entusiasta, apresentar o musical ‘À procura do pinheiro de Natal’, um musical que reuniu a colaboração de toda a comunidade escolar, na confeção dos trajes, e foi coordenado pelos professores Carla Alves, Ana Paula Figueiredo e Rolando Ferreira, à frente deste projeto há 11 anos. Um espetáculo memorável, com cerca de 50 vozes de meninos e meninas do coro acompanhadas de uma coreografia protagonizada por mais de 20 alunos do agrupamento, cuja receita serviu para comprar instrumentos de música para as salas de aula.


Desporto

Na categoria de Desporto são reconhecidos os campeões e o trabalho que é feito pelas respetivas coletividades e associações para que atinjam níveis de excelência. São estas coletividades que levam o nome do Cartaxo mais alto e mais longe, às vezes, fora de portas.

Ateneu Artístico Cartaxense O Ateneu Artístico Cartaxense é nomeado pela sua dinâmica a nível de desportivo, mas não devemos esquecer o seu trabalho a nível social. Esta instituição centenária, muito perto dos 140 anos de existência, consegue manter muitas modalidades desportivas e trazer outras novas, alcançando títulos em provas e torneios regionais, no ténis, no basquetebol e na ginástica, mas também desenvolvendo atletas no tiro com arco e no ballet. Mas é na ginástica (tumbling e trampolins), que continua a destacar-se, levando os seus atletas ao mais alto nível da competição nacional e internacional. Este ano, leva três atletas ao campeonato do mundo, em Tóquio, no Japão.

Escola de Karaté Paula Matias – Cartaxo Também nomeada na área do desporto está a Escola de Karaté Paula Matias – Cartaxo. Os karatecas entram com diferentes objetivos (competição, treino de dojo e ensinamentos desta arte marcial, melhoramento da condição física), mas também aprendem a ser melhores pessoas: mais exigentes, disciplinadas, empenhadas e, ao mesmo tempo, otimistas. E o resultado está à vista, com os atletas de competição a trazerem títulos de campeões nacionais, um dos quais representou Portugal no Campeonato Europeu de Cadetes, Juniores e Sub-21, em Aalborg, na Dinamarca, em fevereiro de 2019.

Clube de Natação do Cartaxo O terceiro nomeado nesta categoria é o Clube de Natação do Cartaxo, que nasceu da vontade de amantes do desporto, entre os quais, muitos professores de Educação Física, e celebrou, em dezembro de 2018, 25 anos de vida. Teve, em tempos, uma equipa de competição ao mais alto nível, mas os resultados que os atuais atletas vêm alcançando não deixam ninguém indiferente. Neste ano, viu dois dos seus atletas sagrarem-se campeões nacionais de Biatle, mas também a subirem ao pódio do Campeonato Europeu de Biatle, entre tantos outros resultados de destaque em provas distritais e nacionais.



Economia

Na categoria de Economia, este ano, o Jornal de Cá decidiu distinguir casas com história, algumas centenárias, outras quase centenárias, algumas estão na mesma família há várias gerações, outras, apesar de já não estarem na família que as fundou, estão há décadas com os atuais proprietários.

Drogaria Howell Guedes A Drogaria Howell Guedes, há 115 anos no Cartaxo, é uma das nomeadas. Trata-se de um dos lugares de história do concelho, que se mantém até aos dias de hoje de portas abertas, na Rua Batalhoz, com uma clientela fiel que se vai renovando. Fundada pelo inglês Frederic George Howell, por esta drogaria passaram já várias gerações da família, estando, presentemente, Frederico Howell Guedes, bisneto do fundador, em conjunto com a mãe, Maria Helena, atrás dos balcões. Apesar de manter o caráter original do estabelecimento, Frederico deu uma nova cara à casa, criando um novo espaço para a bijuteria e brinquedos, mas mantendo produtos tradicionais como o “Milagroso”, um produto de limpeza de móveis, fabricado segundo receita própria.

Casa Brincheiro Também nomeada nesta categoria está a Casa Brincheiro, fundada há cerca de 80 anos no Cartaxo, por Antero Alves Pereira, um vendedor de tecidos em carroça que entoava o ‘brincho’, que era como se chamava ao pregão que anunciava os bens que trazia para vender, e que acabou por dar origem ao nome do espaço próprio para o seu negócio que havia de abrir na Rua Batalhoz. Depois da sua morte, a família fica à frente do negócio de venda de tecido a metro e retrosaria, ao qual se havia de juntar, nos anos 70, como sócio o funcionário da casa Joaquim Lambéria, que impulsionou a confeção de trajes para ranchos folclóricos e fardas para bandas filarmónicas. A família Lambéria havia de ficar com a loja, sendo o filho de Joaquim, Paulo Lambéria a atual ‘cara’ do negócio.

Ourivesaria Conceição A Ourivesaria Conceição, criada em 1935, na Rua Batalhoz, é a terceira nomeada na categoria de Economia. Sempre gerida em família, acompanha a mudança dos tempos, há várias décadas, tendo sofrido uma remodelação por ocasião das comemorações dos seus 80 anos de existência, em 2015, mas continuando dedicada à venda de artigos de ourivesaria, prataria e relojoaria. Fundada em 1935 por António da Conceição, até então relojoeiro na loja do tio (ourivesaria Lanheiro), foi a filha, Maria Ermelinda, conjuntamente com a mãe, a dedicar-se à loja, nos anos 70, a que se juntou Amândio Pina, genro do fundador, que ajudou a manter a tradição da casa, com um atendimento personalizado, apostando também na inovação.


Sociedade

É preciso ter disponibilidade para dar de si aos outros e é precisamente isso que reconhecemos nesta categoria. Este ano, estão nomeados associações e projetos cujas iniciativas solidárias apoiaram a comunidade.

Concurso ‘A Escola tem Talento’ É nomeado o concurso A Escola tem Talento que surgiu em 2011, no âmbito do projeto educativo do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo e leva, anualmente, um espetáculo solidário ao Centro Cultural do Cartaxo, envolvendo toda a comunidade escolar. No palco brilham os alunos, quer na apresentação do espetáculo quer nas performances que são levadas à cena. São muitos os talentos ao nível da música, do canto, da dança e da representação que têm subido ao palco do CCC e que garantem casa cheia e uma noite mágica que, este ano voltou a ajudar quem mais precisa, com as receitas da bilheteira a reverterem para a Maria Inês, aluna deste agrupamento que se viu confrontada com leucemia mieloide aguda.

Trintões 2017 Também estão nomeados nesta categoria, os Trintões 2017 que foram além da habitual colaboração com a Paróquia de Vila Chã de Ourique na organização das festas em honra do Mártir S. Sebastião, e reativaram a tradição da bênção dos tratores, em Vila Chã de Ourique. Com este segundo evento, ao qual juntaram uma festa de Santos Populares, os Trintões 2017 angariaram dinheiro para beneficiar a vila e, foi no passado mês de maio que concretizaram o prometido, oferecendo um espaço de lazer no jardim central, junto ao parque infantil e ao Barril de Livros, a todos os ouriquenses e visitantes. Fizeram ainda parte, em 2017, da organização do evento de solidariedade a favor de Beatriz Coelho, uma jovem da terra com um sarcoma muito raro.

Grupo Herêra O terceiro nomeado na área da Sociedade é o Grupo Herêra – Associação Cultural, que surgiu na Ereira com o objetivo de ali levar momentos culturais e festivos, como feiras do livro usado e as feiras no adro, tendo como objetivo final a angariação de fundos para a manutenção da Igreja Matriz da Ereira, nomeadamente para arranjar o coro alto. Com a colaboração das restantes coletividades da terra, esta associação cultural vai desenvolvendo atividades na Ereira que envolvem as suas tradições e costumes. Um exemplo disso foi a terceira feira do Livro da Ereira – a Liv’reira que trouxe livros, mas também momentos de debate, provas de vinhos, histórias, apresentação de livros, sessões de autógrafos e música, na Casa do Povo da Ereira.

Estes são os nomeados deste ano e, mais uma vez, são os nossos leitores que vão decidir os premiados. Escolha os seus favoritos, e participe na atribuição dos Prémio Cartaxo d’Ouro 2019. Divulgue esta iniciativa e dê a conhecer os valores do nosso concelho.


Comentários
Loading...