Presidente da Câmara reivindica abertura da Extensão de Saúde de Valada

Espaço aguarda por ACES Lezíria para abrir portas

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Pedro Ribeiro, voltou a reivindicar, esta quarta-feira (27), a abertura da Extensão de Saúde de Valada, em ofício dirigido à diretora da ACES Lezíria. O autarca afirma que manter a aquela Extensão de Saúde encerrada “acarreta graves prejuízos à população da freguesia de Valada e afeta gravemente o seu direito fundamental de acesso a serviços de saúde”.

Pedro Ribeiro lembrou que “a Câmara Municipal assumiu pagar uma obra que é da competência direta do Ministério da Saúde. Desde o início do mandato anterior que reivindicámos esta intervenção, promovemos visitas de técnicos e decisores da administração central ao local e disponibilizámos os serviços da Câmara para tudo o que fosse necessário”. De acordo com a nota de imprensa da Autarquia, a demora em obter uma resposta concreta levou o executivo a assumir o investimento e a avançar com as obras “fizemos o projeto e executámos as alterações que eram exigência do Ministério da Saúde, sempre com o acompanhamento da ACES e da USF”.

Terminadas as obras (no dia 4 de abril) e informada a ACES Lezíria e a Unidade de Saúde Familiar (USF) D. Sancho I de Pontével, de que as instalações estariam prontas para ser reabertas, decorreu no local uma reunião de trabalho com a presença dos serviços municipais responsáveis, da ACES Lezíria e a USF de Pontével. Segundo a Autarquia, nesta reunião a Câmara Municipal assumiu ainda a responsabilidade, também esta da administração central, de adquirir e instalar os equipamentos de comunicações necessários para que a Extensão de Saúde pudesse estar ligada em rede, “facto de que tomámos conhecimento neste dia e que adquirimos de imediato, tendo a Junta de Freguesia de Valada feito a sua instalação”, explica o presidente da Câmara Municipal, “mas a Extensão de Saúde continua encerrada à população”.

Obras criaram novos espaços e melhoria das condições de acesso
A Autarquia informa que as obras decorreram no interior do edifício, assim como numa das fachadas, com alterações e beneficiações que dão agora resposta às condições técnicas exigidas pelo Ministério da Saúde, Direção-Geral das Instalações e Equipamentos da Saúde.

Entre as intervenções, destacam-se a construção de um novo compartimento de armazenamento e despejo de resíduos hospitalares, a criação de um novo gabinete médico, a ampliação de vários espaços no interior para permitir o acesso a utentes com mobilidade condicionada, o alargamento da área de circulação de acesso às instalações sanitárias e novos equipamentos e substituição das portas existentes permitindo o acesso de forma desimpedida.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.