Programa Nacional de Investimento 2030

Opinião de João Pedro Barroca

O Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030) tem como objetivo ser o instrumento de planeamento do próximo ciclo de investimentos estratégicos e estruturantes de âmbito nacional, para fazer face às necessidades e desafios da próxima década.

O conjunto dos investimentos representa um valor de 43 mil milhões de euros, em que 50% dos quais dizem respeito aos Transportes e Mobilidade, 30% dedicados a Energia, 18% ao Ambiente e 2% ao Regadio. A maior fatia deste investimento para o setor da ferrovia com 10.510 milhões de euros, destacando-se a criação da nova linha de alta velocidade que vai permitir ligar Lisboa ao Porto em 1h15 minutos.

Investimentos previstos pelo PNI 2030 por área,
em milhões de euros

Fonte: Agência para o Desenvolvimento e Coesão

O Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030) contempla um conjunto de projetos estratégicos e estruturantes em áreas como a mobilidade sustentável e transportes públicos, ferrovia, rodovia, rodo-ferrovia, marítimo-portuário, aeroportuário, ciclo urbano da água, gestão dos recursos hídricos, gestão de resíduos, passivos ambientais, proteção do litoral, recursos marinhos, reforço da produção, redes, eficiência energética e regadio.

Enquadramento Regional do PNI 2030
Para a região do Ribatejo não são conhecidos ainda os projetos de investimento estruturantes que o Governo pretende implementar e, sem dúvida, trata-se de uma oportunidade única para o desenvolvimento da mesma. Este novo programa de investimento público deve contribuir inequivocamente para a construção de um país mais coeso, mais inclusivo e mais competitivo, não podendo ficar esquecida qualquer região.

Ler
1 De 330

Neste âmbito, defendo a conceção de um Plano de Desenvolvimento Económico Regional que seja capaz de criar um efeito de arrastamento positivo para os concelhos que se encontram localizados nesta região.

E como fica o concelho do Cartaxo?
Esta é a pergunta que devemos colocar aos responsáveis que governam o nosso município, ou seja, quais serão as externalidades positivas que tantos milhares de milhões euros que irão integrar este plano nacional de investimento até 2030 poderão ter no desenvolvimento económico e social do nosso concelho.

Tal como tive oportunidade de escrever anteriormente neste espaço de opinião, no decorrer da próxima década iremos estar na presença de uma oportunidade única para o desenvolvimento deste território, logo, torna-se urgente a implementação de uma estratégia para o desenvolvimento económico e social do concelho do Cartaxo, com uma aposta numa especialização produtiva capaz de alavancar outras dinâmicas setoriais na economia local.

Como munícipe, natural e residente no concelho do Cartaxo, espero que os nossos governantes locais revelem competência e capacidade para não deixarem passar esta oportunidade!

*Artigo publicado na edição de novembro do Jornal de Cá.

Pode gostar também