PSP já promoveu a destruição de quase 270 mil armas

A Polícia de Segurança Pública (PSP) concretizou ontem a sua primeira operação de 2022, tendo destruído 11 855 armas, maioritariamente de fogo.

Esta iniciativa enquadra-se na comemoração do Dia Internacional da Destruição de Armas, assinalado no passado dia 9 de julho, associando-se a PSP, uma vez mais, a este evento mundial.

Neste dia, agências das Nações Unidas levam a cabo ações semelhantes de destruição de armas, sob o lema “cada arma destruída não pode mais ser usada para matar, ferir ou intimidar”, destacando ainda a forte ligação com os programas desenvolvidos pela ONU relacionados com o controlo do tráfico ilícito de armas de fogo e da violência, com os crimes praticados por jovens com recurso a armas de fogo, e ainda a promoção do Estado de Direito com o incentivo a programas de entrega voluntária de armas.

Desde o início desta iniciativa, em 2013, a PSP já promoveu a destruição de quase 270 mil armas (268.631).

As armas destruídas foram voluntariamente entregues à PSP pelos proprietários ou apreendidas pela PSP e outras autoridades no âmbito de processos-crime, processos de contraordenação ou administrativos e, posteriormente, declaradas perdidas a favor do Estado.

Confirmada a inutilidade das armas para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra das forças de segurança, assim como o não envolvimento em situações sob investigação criminal, o Diretor Nacional da PSP determinou a sua adequada e preventiva destruição.

Ler
1 De 42

Entre 2019 e 2022 a PSP recebeu e promoveu, também, a destruição de mais de 31 toneladas de munições e cartuchos (31.587 Kg), dos quais quase 2,5 toneladas já durante este ano.

Isuvol
Pode gostar também