Queremos um ano novo

Opinião de Augusto Parreira

Ele aí está, o sempre renovado e desejado ano novo. Se calhar apenas pintado de novo, comparado com todo o tempo já vivido.

É o momento de se fazerem novas promessas, novos sonhos, novos desejos, de criar novas perspetivas e novas esperanças.

É o tempo de se fazer uma lista de boas intenções, mas não para as arquivar de seguida na gaveta.

A partir de agora, janeiro, as coisas vão mudar, dizemos com aquela convicção que a todos impressiona. Se calhar, apenas nos convencemos a nós próprios.

Tudo será novo, mais claro, mais justo, tudo mas mesmo tudo, será respeitado: as liberdades, os direitos, os deveres, os anseios e as espetativas.

Todos sabemos que não é fácil, mas temos que tentar fazê-lo, até mesmo para o merecer e para o merecer teremos que o fazer novo (Carlos Drummond de Andrade).

Mais artigos
1 De 295

Estamos cansados de ser gordinhos e preguiçosos, queremos melhorar a aparência, deixar de fumar, perder peso, fazer mais atividade física (pelo menos aí umas três vezes por semana), desejamos ter um carro novo, uma casa maior, uma promoção ou um novo emprego e viajar muito.

Para muitos é a grande oportunidade de mudança e que aconteça algo que nunca ocorreu.

Para outros, a vida simplesmente continua.

Mas é claro que a vida continua sempre e para todos, só que o desejo é que não continue mais como dantes.

Mas afinal que pretendemos nós do ano novo?

Cá para mim, queremos tudo novo… de novo. Queremos sair pelo mundo, sorrir mais, chorar menos, queremos sossego, ser felizes, ter momentos de paz, aproveitar a família e os amigos e abraçá-los, queremos não sentir medo, amar mais, fazer mais, sentir mais, queremos olhar para a frente e só o necessário para trás, queremos fazer e renovar as amizades, olhar nos olhos de quem nos faz sorrir, sofrer, queremos experimentar mais, pedir menos desculpas e sentir menos culpa, queremos mais colo, mais chão, mais carinho, compreensão, maturidade e inteligência. Queremos esperança!

E tudo isto, porque criamos novas expetativas de vida que nos fazem querer renovar, fazer diferente, ser melhor que antes.

Renovamos a vontade de viver e fazer valer a pena.

Mas não será assim durante todo o ano?

Vejamos, cada dia que passa é sempre um dia novo. E todos os dias desejamos “um bom dia”. Renovamos os nossos votos de felicidade para a família, para os amigos, conhecidos ou até para quem mal conhecemos e nos cruzamos por aí.

Este ano novo, queremos algo mais que ainda não sabemos bem o que é.

Queremos que o tempo seja nosso amigo, não queremos que as coisas cheguem rápido demais nem que os sonhos demorem muito.

Enfim, queremos apenas uma vida bem vivida.

 

Crónica publicada na edição de janeiro do Jornal de Cá.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.