“Quero que a nossa cidade e as nossas freguesias passem a ser do séc. XXI”

Miguel Ribeiro, 39 anos, consultor de informática, candidato a presidente da Junta da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta pelo Movimento Independente Pluralista

Quem é o homem que se candidata a presidente de Junta?
Sou uma pessoa extrovertida, sou uma pessoa de fácil comunicação, dou-me bem com toda a gente, gosto de preservar amizades, sobretudo as boas, tento ser o mais sincero possível, não ando com rodeios, aquilo que tenho para dizer digo, sou frontal, não tenho medo de dizer o que penso, embora isso nem sempre seja bom.

Tenho 39 anos, sou consultor de informática. Nasci no Cartaxo, sou originário da zona da Ribeira do Cartaxo onde cresci. Andei no Jardim de Infância do Cartaxo, fiz a primária na Escola do Centro, andei no ciclo, aqui no Cartaxo, e na Escola Secundária. Passei por cá a adolescência toda. Desde novo que estou envolvido em projetos de associativismo, estive na Associação de Estudantes da Escola Secundária por mais de quatro anos, fui representante dos alunos no Conselho Pedagógico, fui presidente do Conselho Municipal da Juventude, aqui no Cartaxo.

Que presidente de Junta quer ser? 
Eu pretendo ser um presidente de Junta inovador, trazer ideias novas e tenho propostas concretas para essas ideias novas. Por exemplo, quero que a nossa cidade e as nossas freguesias passem a ser do séc. XXI, por exemplo, pertencermos às Cidades Inteligentes. Isso quer dizer que hoje em dia existem novos modelos de gestão autárquica, de eficiência, onde podemos modernizar aquilo que são as competências de uma Junta de Freguesia, que podemos otimizar recursos. Não implica muitos custos, o que implica é que a Junta de Freguesia se candidate aos fundos certos.

O que o motivou a ser candidato?
Primeiro, sou de cá. E notei, até no processo de recolha de assinaturas e ao longo do tempo, que as pessoas têm alguma relutância, para não dizer medo, de darem a cara. Eu nunca tive medo de nada na minha vida. Achei que, depois de ter contabilizado os jovens que se foram embora do concelho nos últimos anos, achei que era o momento de alguém lutar por esta terra, e no dia 18 de janeiro de 2016 fui a uma reunião de Câmara, onde avisei que o tempo de destruírem o Cartaxo ia acabar. E esse tempo chegou.

Que ideia tem da sua freguesia?
Acho que a cidade está abandonada. Não podemos, só porque estamos em época de eleições, andar a limpar tudo, a cortar relvas… não, isto tem de se fazer um plano onde a manutenção seja constante ao longo do ano inteiro.

Acho que não se preocupam com as pessoas, acho que em Vale da Pinta, por exemplo, sei que não concluíram o saneamento básico, ainda há casas, praticamente no centro de Vale da Pinta, que ainda têm fossas, e isso não faz sentido.

Mais artigos
1 De 2

Também acho que não faz sentido contratarem pessoas para secretária quando nós precisamos é de gente para andar na rua e que façam aquilo que são as obrigações da Junta. Acho que é uma questão de gestão de pessoas e de escolhas de recursos, e essa aposta tem sido mal feita. Acho que se podem fazer protocolos com diversas entidades, acho que podemos concorrer a montes de incentivos e de apoios para modernizar toda a cidade e não tem sido. O objetivo será modernizar a própria cidade e não a Junta.

Qual a primeira medida a tomar assim que for eleito?
A minha prioridade vai ser o tratamento da cidade. A cidade precisa de ser cuidada, precisa de ser limpa, precisa de ser atrativa para trazermos pessoas, para essas pessoas originarem receitas no comércio local, porque quem compra no comércio local não são os habitantes locais, quem compra no comércio local são os visitantes, porque são elas que têm disponibilidade, durante o horário em que está aberto, de irem ao comércio local e fazer compras. Não são pessoas que estão a trabalhar durante a semana que vão faltar ao trabalho para ir investir no comércio local, ou que vamos todos os dias almoçar aos restaurantes.

As ruas não são lavadas há anos; são lavadas quando chove. A cidade não é cuidada. Há ideias e projetos de pessoas que estão dispostas a embelezar a cidade, têm é de se sentir motivada para isso. E o exemplo vem de cima.

 

Equipa do MIP à Assembleia de Freguesia da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta

Candidatos efetivos Miguel Ângelo Neves Ribeiro, 39 anos, consultor Informático; Sílvia Susana Colaço Gomes, 35 anos, assistente administrativa; Maria José Pio Caneco, 51 anos, empregada de limpeza; Liliana Sofia Ramalho Santos, 33 anos, assistente de loja; Miriam Andreia Pio de Oliveira Frade, 30 anos, lojista; Rúben Miguel Carvalho Balula, 18 anos, estudante; Maria Marcelina de Jesus Ferreira, 54 anos, desempregada; Vítor José dos Santos Valada Moreira, 39 anos, gestor hoteleiro; Rafael Mourinha Coelho Ramos Pereira, 19 anos, estudante; Luís Filipe de Sousa Lamberia, 41 anos, técnico de manutenção industrial; Carlos Manuel Faria de Oliveira Frade, 63 anos, montador de pneus; Elisa Sofia Duro Cabaço Caixeiro, 37 anos, lojista; Bruno Miguel Martins Caixeiro, 42 anos, informático

Candidatos suplentes Margarida Jarego de Amorim Lúcio, 21 anos, estudante; António Marino Bago de Uva D’ Almeida Lopes, 21 anos, estudante; Catarina Mendes de Carvalho, 21 anos, estudante; João Nuno da Silva Amaral, 26 anos, prensador; Matias Nunes Jarego de Amorim Lúcio, 18 anos, estudante

Pode gostar também

Comentários estão fechados.