Recolha de lixo vai ficar mais cara

O vereador Jorge Gaspar (PSD/NC) disse, na última reunião de Câmara, estar muito preocupado com o facto de a Resiurb continuar a fazer a recolha de resíduos sólidos urbanos. Jorge Gaspar lembrou que “votámos contra noutras ocasiões, e vamos continuar a fazê-lo, porque nos parecia, na altura, e continua a parecer, que a Câmara do Cartaxo não está segura no passo que nos propõe. Nós recordamo-nos de há menos de um ano, o senhor presidente ter proferido declarações públicas, a dizer que a empresa à qual vai, agora, vincular o Cartaxo por 30 anos por um preço de 16 milhões de euros prestava o pior serviço público do País, nesta matéria da recolha”.

O vereador questionou, igualmente, onde estão os estudos sobre o que seria mais vantajoso para o concelho, prometidos em agosto último; se a “confiança que o senhor tem nesta empresa mudou ou se há outra circunstância que justifique esta proposta”; qual a dívida da Câmara do Cartaxo à Resiurb; se o presidente está em condições de garantir que a recolha pelos serviços do Município vai melhorar e “chegar a patamares minimamente aceitáveis e com um padrão de qualidade de vida e qualidade ambiental compatíveis com as exigências dos cidadãos”; e “qual o valor médio do aumento, por habitante, deste novo contrato”.

Pedro Ribeiro garantiu que “a Câmara do Cartaxo continua a trabalhar para encontrar as melhores soluções”, garantindo que o Município aguarda uma resposta sobre a possibilidade de adesão ao sistema da Valorsul mas, “neste momento, é a solução que temos”.

Assim, e apesar de assumir que o sistema da Resiurb era o pior do País, “estamos a trabalhar para corrigir isso, e estou em crer que o conjunto dos cinco municípios da Ecolezíria estão a trabalhar em harmonia com a Resiurb”.

Feitas as contas, os munícipes terão mais cerca de dois euros a pagar no final do mês de novembro.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.