Revisão do PDM levou 30 técnicos ao terreno

Pedro Ribeiro considerou atingido o maior objetivo “que nos tínhamos proposto ao fazer este convite, contrariar qualquer possibilidade de que esta Revisão, que construímos no terreno em estreita ligação com as pessoas e com as empresas”, se pudesse transformar “nesta fase crucial para a sua aprovação, num documento de gabinete”

 

Na sequência da entrega da Proposta de Revisão de PDM às entidades que vão emitir parecer técnico, Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, convidou as 25 entidades envolvidas no processo a participarem numa visita de trabalho ao concelho e a algumas empresas que enfrentam dificuldades de crescimento pelas limitações impostas pelo atual PDM.

A visita decorreu no dia 20 de junho, ao longo de todo o dia, e foi acompanhada pelos eleitos em permanência no executivo (presidente, vice-presidente e vereadora), bem como pelo presidente da Assembleia Municipal, Gentil Duarte e o primeiro secretário, Augusto Parreira, e pelos presidentes de Junta de Freguesia.

Esta visita “permitiu aos empresários apresentarem os seus problemas a quem vai decidir, permitiu aos técnicos das entidades conhecer as empresas, as suas atividades e ambições de crescimento, assim como, avaliarem no local as implicações e detalhes da nossa proposta e aos autarcas exporem os problemas do seu território”, disse o presidente da autarquia.

No balanço final da visita, Pedro Ribeiro considerou atingido o maior objetivo “que nos tínhamos proposto ao fazer este convite, contrariar qualquer possibilidade de que esta Revisão, que construímos no terreno em estreita ligação com as pessoas e com as empresas”, se pudesse transformar “nesta fase crucial para a sua aprovação, num documento de gabinete”.

Realçando que “esta Revisão do PDM é urgente e é crucial para o desenvolvimento futuro do concelho”, Pedro Ribeiro esclareceu que queremos que o Cartaxo possa afirmar que cumpriu escrupulosamente a legislação nacional e regional que condiciona este documento, mas também que se bateu pela conquista de um PDM amigo do investimento e do ambiente, da criação de postos de trabalho e da valorização dos nossos recursos naturais”.

Mais artigos
1 De 503

Para o autarca, “não vale a pena fingirmos que há soluções milagrosas, ou que o problema não existe. Este é um passo enorme, mas apenas um, no combate pelo futuro sustentável do concelho”.

 

 

O processo de Revisão do PDM aguarda agora que todas as entidades emitam parecer, o que deverá acontecer até ao dia 29 de julho. Caso venha a ser necessário, a autarquia pode voltar a contactar as entidades para consensualizar posições que garantam pareceres positivos, sendo esperado que até ao próximo dia 22 de setembro a CCDR-LVT entregue ao Município o seu relatório final.

 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.