RUMO 2020 faz mossa nas contas municipais

Fernando Amorim deu conta da situação económico-financeira do Município aos eleitos

Os eleitos na Câmara do Cartaxo aprovaram esta quinta-feira, em reunião extraordinária, a informação semestral sobre a situação económico-financeira do Município.

Uma situação que “como era expectável quando aprovámos aqui o FAM (Fundo de Apoio Municipal), no ano 2017/2018, o impacto do FAM ainda não é significativo, a nível orçamental, porque ainda existe uma dívida a correr. O que é um facto é que estas contas semestrais têm um fator extraordinário, que é a incorporação do passivo dos ativos da RUMO 2020. No passivo, para terem uma ideia, são 3 milhões, 240 mil euros de financiamento; de dívidas a terceiros foram 350 mil euros; e acréscimos de custos foram 968 mil euros”, explicou Fernando Amorim, responsável pelo pelouro das Finanças do Município, a propósito dos efeitos da RUMO nas contas deste semestre.

O autarca adiantou que “isto vai ser diluído no tempo, como está previsto no FAM”.

Além disso, Fernando Amorim considerou que “como é óbvio, em quatro anos não se pode passar de capitais próprios negativos de 19 milhões de euros para um capital próprio positivo”, acrescentando que “os resultados líquidos do semestre da conta de exploração foram positivos, pelo segundo ano consecutivo, de 676 mil euros”.

Os documentos foram aprovados por maioria, com as abstenções dos dois vereadores do PSD e do vereador Nuno Nogueira, do Paulo Varanda – Movimento Pelo Cartaxo.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.