Sabia que…?

Ana Benavente|Ana Benavente

Sabia que temos hoje a maior emigração desde o 25 de Abril, em grande parte constituída pelas gerações mais jovens e mais qualificadas? Pergunte à sua volta. Os nossos filhos partiram.
Sabia que, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, o desemprego real ultrapassa, no nosso país, os 20 por cento? Desaparecem postos de trabalho, quem tem emprego trabalha mais horas e em piores condições, parece-lhe isto normal?
Sabia que, desde 2011, os contractos colectivos de trabalho têm vindo a desaparecer, sendo hoje apenas 1/5 (um quinto, sim) do que eram? Isto significa contractos a prazo, trabalhadores precários e sem direitos.
Sabia que a violência doméstica se traduz em mais de dois assassinatos de mulheres por mês e que ainda não se contabilizou a violência contra os mais velhos? Uma sociedade que despreza os mais experientes e que os estigmatiza, é uma sociedade profundamente doente. Não concorda?
Sabia que o actual governo se orgulha de ter tomado medidas de austeridade para além do que previa o acordo com a troika?
Sabia que os Bancos, salvos da bancarrota com o nosso dinheiro, nos agradecem, como se vê no caso do BES, não pagando a quem lá tinha as suas poupanças? E nada acontece aos banqueiros? Acha bem?
Sabia que cerca de 1/3 dos portugueses estão na pobreza ou a caminho dela? Tem saudades da fome e das crianças descalças? Eu não tenho.
Sabia que, quando o presidente da Comissão Europeia declarou que as imposições da Europa atingiram a dignidade da Grécia, de Portugal e da Irlanda, os actuais governantes responderam que não, nunca a nossa dignidade foi atingida! A deles talvez não, a minha sim!
Sabia que, na Grécia, 1/3 das pessoas deixou de ter acesso à saúde, mais de 300.000 pessoas vivem sem electricidade e os suicídios aumentaram 40 por cento?
Sabia que, segundo as notícias, o governo português pediu à Alemanha que fosse “dura” com a Grécia?
Sabia que, no final da segunda guerra mundial, a Alemanha foi reconstruída com o apoio dos Estados Unidos e da Europa (Plano Marshall) e que a Grécia perdoou, então, a dívida alemã? Onde está, hoje, a cooperação e a solidariedade entre os povos? Ou trata-se afinal, na Europa, dos países mais ricos esmagarem os mais pobres?
Sabia que 95 por cento do que a Grécia recebeu como “ajuda” foram inteirinhos para pagar juros?
Sabia que a dívida externa portuguesa aumentou nos últimos três anos apesar de todos os nossos sacrifícios?
Por isso, o actual governo grego, o primeiro da União Europeia a recusar a austeridade (quando uma vaca está magra e não dá leite é com chicotadas que passa a dar leite??), diz, como eu e como muitos de nós “Aprenda a nadar, senhor P. Coelho, que a liberdade vai passar por aqui”. Já é tempo.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.