São elas que fazem (quase) tudo!

Esta é a conclusão de um inquérito que fizemos a meia centena de mulheres do concelho do Cartaxo

Após o estudo realizado a nível nacional, “As mulheres em Portugal, hoje”, encomendado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, que revela que as mulheres portuguesas andam exaustas, nomeadamente as que têm filhos menores, com várias horas de trabalho em casa, fora o horário laboral, o Jornal de Cá quis saber como está a vida das mulheres do concelho, agora que estamos no mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher. Como tal, foram inquiridas 50 mulheres em idade ativa (acima dos 35 anos), de forma anónima, sobre a sua vida, em casa e no trabalho, para perceber até que ponto temos um concelho ainda longe no que diz respeito à igualdade entre géneros.

Percebeu-se, pelo estudo nacional e também por este inquérito que realizámos, que a maioria das mulheres continua a estar sobrecarregada com as tarefas domésticas, para além do emprego. Passadas décadas da entrada massiva das mulheres no mercado de trabalho, continua a mesma pressão social sobre elas. São elas que cuidam da casa, dos filhos, dos pais e, muitas vezes, dos sogros. Tudo isto, depois (e antes) de cumprirem o horário laboral. Os apoios, quando existem, vêm da parte dos familiares mais próximos e, muito raramente, é referida a empregada doméstica. Os parceiros ainda estão pouco motivados a participar nas tarefas domésticas, ainda que alguns (poucos) deem uma boa ajuda em casa, no dia a dia.

Leia tudo sobre as conclusões deste inquérito na edição impressa do Jornal de Cá, já nas bancas do concelho do Cartaxo

Pode gostar também