Ser feliz ou ter razão?

Por Gina Florindo

Começo por vos colocar a questão: ‘ser feliz ou ter razão’, duas situações antagónicas.

Muitas vezes para se ter razão ou provar que se tem razão passa-se por uma discussão o que nos afasta da felicidade. Entrar em discussão nunca resolveu nada, eu digo a minha opinião e você diz a sua. Se a nossa opinião é diferente, bom, talvez eu aprenda alguma coisa, mas não acredito que a minha opinião versus a sua, discutida vezes sem conta, resolva alguma coisa. É desperdício de tempo, há pessoas que se alimentam anos sem conta da energia da discussão deixando a felicidade para trás.

Para manter pensamentos de zanga, amargura, vingança, culpa e vergonha, precisamos de usar muita energia. Por isso precisamos de revivê-los vezes sem conta para os manter vivos.
 
Toda essa energia que usamos a viver nos rancores, na amargura, na vingança pode ser utilizada para conseguirmos concretizar um objetivo  que nos realize, fazermos algo que nos dê prazer, aproveitar o tempo com a família em harmonia, etc.

Felicidade é colocarmos o nosso ponto de vista, deixar o outro colocar o ponto de vista dele e respeitarmo-nos mutuamente.
 
Se conseguirmos perdoar e largar, podemos aplicar essa energia da forma que quisermos. Cada pessoa deste planeta tem vinte e quatro horas em cada dia, é escolha sua passar esse tempo com pensamentos de amargura, vingança e de não perdão ou usá-lo para fazer coisas que tornam o mundo um lugar melhor e mais divertido.
 
Deixo-lhe aqui uma reflexão, quantas vezes discutiu com as pessoas que mais ama só porque tem razão, ou quer ter razão? Vale a pena afastar-se de ser feliz e de ter paz com quem ama?

A felicidade está no desapego das razões.


Mais artigos
1 De 7

Gina Florindo é Mestre de Reiki, Facilitadora de Cura Reconectiva/Reconexão, Numeróloga e Hipnoterapeuta

Pode gostar também
Comentários
Loading...