Socialistas prestaram contas na Ereira

Na segunda edição da iniciativa PS Cartaxo Presta Contas, na Ereira, Pedro Ribeiro avançou que "conseguiu-se criar condições para que um investidor de Lisboa comprasse o edifício da antiga farmácia, já entrou com os projetos na Câmara para fazer um hotel no centro da Ereira"

O PS Cartaxo reuniu esta terça-feira, na Ereira, para prestar contas, ao fim do primeiro ano de mandato autárquico.

Uma sessão que contou com casa praticamente cheia e que decorreu na antiga Junta de Freguesia da Ereira, e onde os presentes assistiram ao anúncio da construção de um hotel de quatro estrelas na localidade.

A boa-nova foi apresentada por Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, que revelou que “um dos edifícios mais bonitos e mais emblemáticos da Ereira era o edifício da antiga farmácia. Felizmente, com muito trabalho, conseguiu-se criar condições para que um investidor de Lisboa comprasse este edifício, já entrou com os projetos na Câmara – e vocês hão de conhecer o projeto em breve, é um projeto lindíssimo – para fazer um hotel no centro da Ereira”.

Um hotel que, “sendo de quatro estrelas, naturalmente, vai atrair pessoas com poder de compra, e tenho a certeza que isto depois vai, por arrasto, catalisar investimento, vão existir outros investidores a tentar reabilitar edifícios aqui na Ereira, e também sabemos que ele já adquiriu dois moinhos na zona para, em conjunto com o hotel, fazer a ponte para uma oferta turística. E eu estou convencido que isto vai mexer com a Ereira, com as pessoas que produzem o mel, compotas, fazem pão, enchidos, o nosso vinho, o nosso azeite”, acrescentou.

Apesar de todos os trâmites que é necessário respeitar, “temos a confiança que, se tudo correr bem, à semelhança do que já está a acontecer em Vila Chã”, a construção deste hotel possa ser uma realidade daqui a um ano.

Mas a intervenção do presidente da autarquia não se ficou por este anúncio. O processo de agregação de freguesias foi alvo da sua crítica. “Vivemos numa União de Freguesias em que a população não foi ouvida, em que não houve o mínimo respeito pela posição nem das populações nem dos autarcas das duas freguesias, nem pelos autarcas do Município”, começou por dizer Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal. Pedro Ribeiro confessa ter algum receio “que o governo do Partido Socialista não faça aquilo que, no meu entendimento, é melhor ser feito”. “Eu não defendo que a decisão seja da Assembleia de Freguesia ou da Assembleia Municipal, não defendo a solução que o PSD Cartaxo apresentou há pouco, aqui, que é fazer um abaixo-assinado, acho que é muito pouco. Aquilo que eu defendo, e acho que deve ser a posição dos autarcas do Partido Socialista no nosso concelho, é que as populações sejam ouvidas e que seja feito um referendo local em cada uma das freguesias, sobre se querem estar unidas ou não”, acrescentou.

Ler
1 De 647

No que respeita ao trabalho feito na Ereira, Pedro Ribeiro destacou “o esforço do executivo da União de Freguesias num ano extremamente difícil para assegurar a adequada limpeza das nossas vias”; “este executivo teve um problema dramático. Às vezes, as pessoas que vivem nas cidades ou que vivem nas terras maiores não têm a mínima ideia da importância de uma caixa multibanco”, “e eu quero saudar a ação do presidente, do executivo da Junta, andou depressa e andou bem para que esta caixa multibanco voltasse a estar neste sítio”.

No que respeita ao que falta fazer, Pedro Ribeiro destacou o parque infantil na Ereira, o parque de estacionamento junto ao cemitério, a conservação da Igreja Matriz, a criação de um espaço comum para todas as associações e coletividades da terra, ou a solução para a falta de saneamento básico, “que vai ser resolvido neste mandato”, assegurou.

João Nunes, presidente da União de Freguesias da Ereira e Lapa, fez um balanço do que está feito e do que ainda há para fazer. Assim, destacou o trabalho que a Junta vem desenvolvendo na área da educação, com o apoio aos estabelecimentos de ensino e o transporte de crianças; na rede social; ou no associativismo, entre outras áreas.

João Nunes lamentou, no entanto, não haver, ainda, um parque infantil na Ereira. “Herdámos dois parques infantis ilegais na Lapa, que não cumprem a legislação em vigor. Como fizemos a promessa de um parque infantil na Ereira, optámos, este ano, por ir pela parte mais económica, de regularizar os dois parques infantis da Lapa, que ficarão regularizados até dezembro”, explicou. O parque infantil da Ereira deverá avançar no próximo ano.

O autarca referiu, ainda, estar feliz por ter conseguido regularizar a situação de três trabalhadores que tinham vínculos precários à União de Freguesias. “É mais uma ‘obra’ que não tem grande visibilidade, mas que nos enche de orgulho”, salientou.

A 1ª fase da Zona Industrial vai ficar concluída esta semana, afirmou João Nunes e “assim que a 1ª fase esteja concluída, iremos iniciar a 2ª fase”, já que “é de todo o interesse regularizar esta situação”.

 

Pode gostar também