Sonho de uma noite de inverno

Opinião de Miguel Montez Leal

Depois de soltas as bolhas de champagne, que em cascata caem para as flutes, de terem soado as doze badaladas, no Terreiro do Paço, e no Big Ben, de se ter subido a uma cadeira e de se terem comido as doze passas, que pedem doze desejos (número grande e impossível…), eu sonhei um País em que a democracia estava firme e segura, em que a social-democracia fosse um facto, em que a ascensão social, pelos estudos, ou pelo trabalho, não estivesse tão dificultada, em que a emigração significasse mais um desejo de internacionalização de carreiras (pois como todos sabemos nesta velha Europa cansada há superavit de muitas formações e especializações), do que uma fuga em massa da miséria, em voo low cost; em que as crianças tivessem acesso a uma Escola Pública, gratuita e universal; em que a Saúde fosse um serviço universal; em que o mérito, o trabalho, o esforço e a dedicação contassem para se conseguir um trabalho, mais do que a “cunha”, a troca de favores, o clientelismo, a corrupção e o pequeno-caciquismo; em que a Justiça não fosse tão morosa; que os portugueses se fossem tornando, mais do que instruídos, cultos; e em que os seniores tivessem direito a uma vida digna e sempre, sempre, o direito a falar e à indignação.

É um sonho, e era num País assim em que gostava de viver. Um País que não tivesse medo de utilizar a palavra orgulho, que fosse frontal e responsável pelos seus actos, que tivesse fibra, que não tivesse medo de falar e de assinar por baixo, e que não sentisse vergonha de ter nascido nesta frente de mar atlântica e peninsular.

Post scriptum: Sou em primeiro lugar cartaxeiro, em segundo lugar ribatejano (embora esta província há muito já não exista), em terceiro lugar português e peninsular, e desde sempre europeu, nunca me senti africano, americano ou asiático, e recuso-me a dizer “Na Europa”, pois a Europa começa no Cabo da Roca, não na Escandinávia. E patriota, o que é diferente de ser nacionalista, pois nada tenho contra os outros povos e nações.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.