Sopas de Muge por Madalena Dias

Olá eu sou a Madalena Dias, Chefe de cozinha, e a receita que vos trago hoje tem cerca de 200 anos.

Confecionada com poucos ingredientes, mas de sabor incrível e genuíno e que tão bem caracterizam as gentes de Porto de Muge, as Sopas de Muge foram o sustento dos tempos que já lá vão.

O porto fluvial e a proximidade de Muge, no outro lado do rio, deram o nome à povoação de Porto de Muge. O nome advém da abundância de peixe da família Mugílida presente no rio Tejo, e em particular nesta localidade.

A riqueza de hoje está na pobreza de outrora.


Muge, fataça, tainha, liza ramada, esta é a designação vulgar de vários peixes da família dos mugilídeos.

A comunidade avieira é caracterizada pela dedicação à atividade da pesca embarcada, com uso de barcos designados por bateiras.
A pesca é praticada por homens e mulheres sobretudo em contexto familiar, cada um com a sua tarefa, mas todas correlacionadas.

Ler
1 De 38

A riqueza de hoje está na pobreza de outrora.
A chegada de novos alimentos à Europa aquando a descoberta do Novo Mundo, fez com que as receitas mais típicas e originais se fossem perdendo ao passar de geração em geração.
Ingredientes como a batata, tomate, malagueta são provenientes da América do Sul e chegaram à Europa no contexto da colonização espanhola no final do século XV pelo navegador genovês, Cristóvão Colombo.

A nossa Sopa de Muge será confecionada apenas com os ingredientes que tínhamos à disposição no nosso meio rural há 200 anos.

Sopas de Muge
Ingredientes:
1 fataça grande, 6 colheres de sopa de azeite, 8 cebolas médias, 4 dentes de alho, sal q.b., pimenta q.b., fatias de pão duro, coentros frescos.

Confeção: Comece por arrepiar o peixe. Esfregue o peixe já escamado, limpo de vísceras e inteiro com sal, no sentido contrário ao crescimento das escamas. Envolva o peixe num pano limpo e deixe repousar no frigorífico cerca de 12horas. Esta técnica permite que a carne do peixe se torne mais firme e lasque na perfeição.

O corte da fataça deve ser feito em postas com cerca de dois dedos de largura. É indispensável a presença da cabeça, pois reforça o sabor do caldo.
Num tacho ferva água e coza as postas da fataça e a cabeça com uma cebola pequena inteira.

Corte as cebolas e os dentes de alho em rodelas e refogue em azeite. Quando a cebola ficar translucida, junte o alho, o louro e a pimenta, retifique o sal e deixe apurar um pouco, mas sem fritar. Coloque o peixe já cozido por cima da cebola, apague o lume e tampe o tacho.

Num alguidar de barro coloque as fatias de pão duro e, por cima, pés de coentros inteiros. De seguida, com cuidado, disponha as postas e a cabeça da fataça com a cebolada e cubra com o caldo da cozedura do peixe, previamente coado.

Regue com um fio de azeite e sirva bem quente.
Bom apetite!

Pode gostar também