Termómetro de Esquerda #16

Opinião de Vasco Miguel Casimiro

Nas passagens de ano existem vários costumes que se continuam a cumprir. Bater com tachos e panelas, apitar, lançar foguetes, estrear roupa interior azul, colocar uma nota no sapato, saltar de uma cadeira com o pé direito, entre muitos outros, são alguns dos rituais mais caraterísticos. Na entrada de um novo ano existe, ainda, o velho hábito de comer 12 passas e formular os respetivos desejos. À semelhança dos desejos para o ano de 2019 que terminou e aproveitando para desejar um excelente ano de 2020 a todos os leitores do Jornal de Cá, na primeira edição do termómetro de esquerda do novo ano deixo a renovação de alguns desejos para o concelho do Cartaxo. Nesta (curta) lista poderão caber muitos mais. Cada um dos leitores, cada um dos nossos concidadãos, terá o “seu” desejo para 2020. Guardem 1 dos vossos 12 desejos para a nossa terra.

1. Recuperar a qualidade de vida: O programa Viva Cidade da Câmara Municipal do Cartaxo, anunciado em 2018, chegou “devagarinho” à cidade no ano de 2019, destacando-se a remarcação de passadeiras na rede viária e, no âmbito da regeneração urbana, o início da requalificação da Rua e Travessa da República, Rua de São Sebastião e Largo do Pelourinho. No entanto, não houve evolução na Quinta das Correias ou na Praceta do Progresso, tal como anunciado publicamente. Recorde-se que, até final do atual mandato (outubro de 2021), a previsão divulgada em 2019 aponta para intervenções em espaços como a Quinta das Correias, Quinta das Cabeleiras, Quinta do Brito, Urbanização do Vapor, Parque da Música, Parque do Valverde, Santa Eulália, Praceta do Progresso e Ponte da Pedra. A concretizar-se, a aceleração da execução deste programa trará uma melhoria dos espaços verdes, da limpeza urbana e das redes viárias na cidade. Neste processo, não se deverá esquecer que as freguesias, apesar do aumento do valor de transferências do orçamento municipal por via dos novos acordos de execução e de delegação de competências, continuam com carências nestas e noutras áreas e que só poderão ser resolvidas com investimento da esfera municipal.

2. Atrair mais e melhor emprego: A criação de condições para a fixação de novas empresas e para a manutenção das empresas existentes no nosso concelho são premissas que fazem parte do discurso político habitual. Num tempo em que o país continua a crescer economicamente, o concelho não pode deixar de aproveitar para, finalmente, desenvolver o Valleypark (Falcão), resolver os impasses do Casal Branco (Pontével) e da Lapa, e melhorar a Zona Industrial de Vila Chã de Ourique. Neste desejo, é de realçar que, em 2019, o processo relativo à Lapa avançou e estará para breve a sua resolução.

3. Continuar o investimento na Educação: Com a conclusão da obra do Centro Escolar de Pontével, é premente concretizar no terreno o acordo com o Ministério da Educação que conduzirá à reabilitação da Escola Secundária do Cartaxo, sem esquecer a requalificação necessária nas restantes escolas e jardins de infância do concelho.

4. Concluir a revisão do PDM: Com municípios a discutirem e aprovarem os PDM’s de 3.ª geração, nomeadamente na região Norte, a conclusão e aprovação do processo de revisão do PDM concelhio é um processo decisivo que urge acelerar, designadamente na sua aprovação pelas entidades da administração central, sob pena das “vidas” de muitas famílias e da atividade de muitas empresas continuarem em “suspenso”. Durante o ano de 2019, houve algum progresso na revisão do PDM. Contudo, tal como noutros concelhos da Lezíria do Tejo, continua-se a aguardar por decisões “externas” favoráveis para a conclusão do processo.

Mais artigos

Tomar decisões

Papistas racistas

1 De 260

*Artigo publicado na edição de janeiro do Jornal de Cá.

Pode gostar também
Comentários
Loading...