Termómetro de esquerda #4

O termómetro de esquerda é um espaço de opinião de Vasco Miguel Casimiro. Um espaço que será local, regional, por vezes nacional e até internacional. Um espaço de reflexão, de partilha, que não pretende ser imparcial nem unânime.

Nas passagens de ano existem vários costumes que se continuam a cumprir. Bater com tachos e panelas, apitar, lançar foguetes, estrear roupa interior azul, colocar uma nota no sapato, saltar de uma cadeira com o pé direito, entre muitos outros, são alguns dos rituais mais caraterísticos. Na entrada de um novo ano existe, ainda, o velho hábito de comer 12 passas e formular os respetivos desejos. Aproveitando para desejar um bom ano de 2019 a todos os leitores do Jornal de Cá, na primeira edição do termómetro de esquerda do novo ano deixo os meus desejos para o concelho do Cartaxo. Nesta (curta) lista poderão caber muitos mais. Cada um dos leitores, cada um dos nossos concidadãos, terão o “seu” desejo para 2019. Guardem 1 dos vossos 12 desejos para a nossa terra.

1. Recuperar a qualidade de vida: O anunciado programa Viva Cidade, da Câmara Municipal do Cartaxo, a concretizar-se, trará uma melhoria dos espaços verdes, da limpeza urbana e das redes viárias na cidade. Neste processo, não se deverá esquecer que as freguesias, mantendo o mesmo valor de transferências do orçamento municipal por via dos acordos de execução e de delegação de competências, continuam com carências nestas e noutras áreas e que só poderão ser resolvidas com investimento da esfera municipal.

2. Atrair mais e melhor emprego: A criação de condições para a fixação de novas empresas e para a manutenção das empresas existentes no nosso concelho são premissas que fazem parte do discurso político habitual. Num tempo em que o país está a crescer economicamente, o concelho não pode deixar de aproveitar para, finalmente, desenvolver o Valleypark (Falcão), resolver os impasses do Casal Branco (Pontével) e da Lapa, e melhorar a Zona Industrial de Vila Chã de Ourique.

3. Ressuscitar o projeto “Cartaxo – Capital do Vinho”: Num ano em que a temática da Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, em Santarém, é a Vinha e o Vinho, o Cartaxo tem de aproveitar este palco com mais de 200 mil visitantes para relançar o projeto aos olhos do país. Com a necessidade urgente de envolver toda a comunidade para dar uma nova vida ao projeto, o 1.º semestre de 2019 adivinha-se fulcral para cumprir este desiderato.

4. Continuar o investimento na Educação: Com a proximidade da conclusão da obra do Centro Escolar de Pontével, é premente concretizar no terreno o acordo com o Ministério da Educação que conduzirá à reabilitação profunda da Escola Secundária do Cartaxo, sem esquecer a requalificação necessária nas restantes escolas e jardins de infância do concelho.

Ler
1 De 10

5. Dar transparência ao processo “Cartágua”: Após tanta discussão política, é fundamental dar transparência ao contrato de concessão da exploração e gestão dos serviços públicos de distribuição de água e de drenagem de águas residuais com a empresa Cartágua – Água do Cartaxo, S.A., e fornecer informação útil aos cidadãos sobre o processo (não basta disponibilizar centenas de documentos técnicos). Torna-se, ainda, oportuno o estudo de várias opções alternativas ao atual modelo de concessão e respetivos custos associados.

6. Concluir a revisão do PDM: Com municípios a discutirem e aprovarem os PDM’s de 3.ª geração, nomeadamente na região Norte, a conclusão e aprovação do processo de revisão do PDM concelhio é um processo decisivo que urge acelerar, designadamente na sua aprovação pelas entidades da administração central, sob pena das “vidas” de muitas famílias e da atividade de muitas empresas continuarem em “suspenso”.

*Artigo publicado na edição de janeiro do Jornal de Cá.

Pode gostar também