Todos os caminhos vão dar a Fátima

Desde a passada sexta-feira que o Cartaxo tem visto passar milhares de peregrinos em direção a Fátima

Desde a passada sexta-feira que o Cartaxo tem visto passar milhares de peregrinos em direção a Fátima, onde este ano se celebra o Centenário das Aparições. Mas mais do que vê-los passar, a população do concelho dá-lhes apoio, na cidade e, pela primeira vez, em Valada, para quem escolhe o caminho do Tejo para ir ao encontro do Papa Francisco. E nem as fortes chuvas os demovem

O adro da Igreja de Valada foi o local escolhido para montar uma tenda de apoio dos Bombeiros Municipais do Cartaxo, como ponto de apoio aos muitos peregrinos que fazem o caminho do Tejo e ali passam pelo paredão, a caminho de Fátima. Lá encontrámos uma equipa de voluntários; Alexandra Ferreira, dos Bombeiros do Cartaxo, e Helena Xavier, Cristina Valbom e Teresa Gomes da Igreja Apostólica do Cartaxo, assim como profissionais da Farmácia Holon de Vila Chã de Ourique, que colabora nesta ação disponibilizando dois elementos da equipa da farmácia (encontrámos Petra Carvalho e Manuel Leandro), para prestar assistência a nível de tratamentos de feridas, pensos, massagens, disponibilizando ainda vaselinas para os diversos pontos de apoio no concelho.

Desde a passada sexta-feira, dia 5 de maio, que se encontram neste local, das 8h às 24h, onde diariamente dão assistência a uma média de 15 pessoas que, na sua maioria, ali param para tratar bolhas nos pés, mas também para medir a tensão arterial. Mas grande parte dos milhares de caminhantes que fazem este caminho para Fátima seguem sem parar, a não ser para cumprimentar. Foi o caso de um grupo de três peregrinas brasileiras que escolheram este caminho para fazer a sua primeira peregrinação a Fátima por ser “mais agreste, mais natural”. Partiram de Carcavelos e caminham sem pressas, “tranquilamente”, mas para estar no Santuário no próximo sábado, dia 13.

Já na manhã desta quarta-feira, dia 10, também estivemos com cinco voluntárias numa tenda perto do Ateneu Artístico Cartaxense (instituição que também acolheu grupos de peregrinos para pernoitar) preparada para dar apoio aos peregrinos. Maria José Seabra (Marita), da proteção civil, Anabela Nogueira e Paula Gonçalves, da Universidade Sénior (do Cartaxo e de Vila Chã de Ourique) e Vera Russo e Susana Calisto, ambas voluntárias a título individual, encontravam-se no seu turno de apoio, dando águas, indicações, apoio moral, cadeiras para descansar e até uma marquesa para massagens. Dizem-nos estas voluntárias que passam aqui pessoas vindas de todo o lado, incluindo estrangeiros (ingleses, chineses, croatas, búlgaros, entre outros) que voam até Lisboa e de lá partem para Fátima. Dos portugueses, há muitos a fazer a peregrinação pela primeira vez, mas muitos outros fazem-no há vários anos, sendo este ano especial pela vinda do Papa Francisco.

Mais artigos
1 De 507

Segundo o comandante dos Bombeiros, David Lobato, a operação está correr bem, sem incidentes registados no concelho, sendo o apoio dado essencialmente no que diz respeito a bolhas nos pés, sendo os casos mais graves encaminhados para o Centro de Saúde, onde no exterior também se encontra uma tenda de apoio.

Para Pedro Ribeiro, presidente da Câmara do Cartaxo, a operação conjunta (que integra o Serviço Municipal de Proteção Civil, os Bombeiros Municipais do Cartaxo, a Associação Humanitária da Freguesia de Pontével, a PSP e a GNR, a comunidade católica através das suas paróquias e organizações, e outras instituições públicas e privadas) “o balanço geral é positivo. Está a correr bem, nós também já temos um acumular de experiência de três anos consecutivos, portanto já houve aqui um caminho de aprendizagem entre os vários parceiros”. A vinda do Papa nas celebrações do Centenários das Aparições “naturalmente que iria trazer uma maior afluência de pessoas a Fátima e sentimos a necessidade de recorrer ao voluntariado uma vez que também aumentamos o número de postos de apoio”, reconhece Pedro Ribeiro, revelando que este ano houve mais parceiros envolvidos, conseguindo-se ainda cerca de 35 voluntários para apoiar a causa, “e achamos que é bastante positivo”. Para além disso, o presidente fala nas melhorias na “sinalização de apoio aos peregrinos, com a colocação de placas a indicar as distâncias, mas é sempre possível melhorar”, visto que ainda há vários peregrinos e respetivos carros de apoio que se sentem um pouco desorientados na cidade.

Os pontos de apoio mantêm-se até às 18h desta quinta-feira. De referir que também o Inatel tem recebido centenas de peregrinos para descansar, tomar banho e pernoitar.

Notícia em desenvolvimento.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.