“Vamos fazer amanhã do Cartaxo a Capital do porco português”

Honrado com a escolha do Cartaxo para receber o VIII Congresso Nacional de Suinicultura, nestes dois dias, o presidente da Câmara Municipal quer contribuir para o projeto Porco.pt, que aqui será lançado, 'pintando' o Cartaxo de cor-de-rosa

1.236

Começou esta quinta-feira de manhã a oitava edição do Congresso Nacional de Suinicultura, no Centro Cultural do Cartaxo, com a presença do secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, que vê neste setor “um potencial de crescimento assinalável”.

O congresso, promovido pela Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS), onde são esperados mais de 400 profissionais do setor, decorre até amanhã, 23 de junho, no Centro Cultural do Cartaxo, dia em que será lançado o programa ‘Porco.PT’, distinção que vai identificar o novo produto certificado lançado pelos suinicultores portugueses. Neste mesmo dia, que contará com a presença do ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que não pode estar presente na sessão de abertura do congresso, será oferecida carne de porco nacional aos consumidores. E o presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Pedro Ribeiro, lança o desafio a todos: “vamos dar o nosso contributo a este projeto de qualidade que é o Porco.pt, e pintar o Cartaxo de cor-de-rosa, vamos fazer amanhã do Cartaxo a Capital do porco português”.

Dividido em cinco painéis, os especialistas presentes vão falar sobre sanidade animal e plano de controlo e erradicação de doenças – que para o presidente da FPAS, Vítor Menino, “devem ser uma prioridade” –, raças autóctones ou comércio internacional, entre outros temas sobre o setor suinícola que tem um impacto relevante a nível social e económico em Portugal. De acordo com o presidente da FPAS, “o setor contribui com cerca de 600 milhões de euros para o PIB nacional” e emprega, direta e indiretamente, vários milhares de famílias portuguesas. E “tendo em conta as estimativas das importações chinesas de carne de porco [ainda em negociações], 2,3 mil toneladas em 2017, o potencial do mercado chinês é tal que poderia absorver toda a produção nacional e, por isso, é um mercado extremamente relevante, mas não é o único”, refere Vítor Menino, acrescentando que “ainda há muito por fazer no campo da exportação para outros mercados asiáticos e da América Latina”. O presidente da FPAS relevou ainda o lançamento do programa ‘Porco.PT’, neste congresso, que será “um marco histórico da suinicultura portuguesa”.

Por sua vez, o secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Vieira referiu que “a situação de crise neste setor exigia uma atuação rápida e empenhada por parte do governo, que tomou, no início do mandato, um conjunto de medidas tendentes a mitigar os efeitos desta crise”, tornando possível “iniciar uma recuperação gradual que esperamos que se mantenha”. Segundo o secretário de Estado, “em Portugal o setor da suinicultura tem um potencial de crescimento assinalável”, sendo para isso imprescindível trabalhar na erradicação de doenças nestes animais.

Visivelmente satisfeito com este acontecimento no Cartaxo, o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro, saudou os presentes e agradeceu os apoios, nomeadamente à Adega Cooperativa do Cartaxo e à Escola Secundária do Cartaxo, assim como aos mais de 30 patrocinadores do evento, que “reúne aqui mais de 20 palestrantes portugueses e estrangeiros, que vão aqui partilhar os seus conhecimentos”, agradecendo ainda “a escolha do Cartaxo para receber o VIII Congresso Nacional de Suinicultura, nestes dois dias, que “representa para o Cartaxo uma honra e um forte estímulo para continuarmos a apoiar os nossos empreendedores, os nossos empresários, que tanto contribuem para o desenvolvimento económico do nosso concelho”. Segundo o presidente do Município, “no concelho do Cartaxo temos cerca de duas dezenas de explorações de suinicultura, em que mais de dez são de grande dimensão”, adiantando que, “de acordo com os dados oficiais, desde 2007, tem-se verificado um aumento progressivo do número de efetivos no nosso concelho e um grande aumento em termos de exportação, sobretudo para Espanha”, sendo este setor, “dentro das explorações de animais do nosso concelho, seja aquele que tem maior representatividade, sendo um dos maiores contribuintes para a riqueza e economia do nosso concelho”.

De referir que no serviço de bar aos congressistas estavam os alunos dos últimos anos do curso vocacional e do curso profissional de restauração da Escola Secundária do Cartaxo, uma oportunidade que o professor António Gaspar e os alunos agradecem, pois têm a oportunidade de praticar as aprendizagens e demonstrar o seu empenho. Maria e Beatriz, duas alunas do curso vocacional, mostraram-se muito satisfeitas por ali estarem e nós pudemos atestar o seu nível de profissionalismo.

Presentes no evento estiveram ainda várias empresas do concelho, entre as quais, a Caixa de Crédito Agrícola do Cartaxo, sendo ainda de esperar que, nestes dois dias, várias outras empresas, especialmente, na área da hotelaria e da restauração sejam beneficiadas com este evento que trará centenas de pessoas de fora.

Pode gostar também