Vereadores da oposição preocupados com situação de seca

Jorge Gaspar e Nuno Nogueira "entendem que o executivo municipal deve ter uma postura responsável e proativa"

Os vereadores da coligação Juntos pela Mudança (JPM) na Câmara do Cartaxo apresentaram, na reunião de Câmara de segunda-feira, 6 de novembro, as suas preocupações com a situação de seca que o País atravessa.

Assim, Jorge Gaspar e Nuno Nogueira teceram algumas considerações sobre esta situação, realçando que “o território nacional se encontra em situação de seca (73% em seca extrema e 27% em seca severa); a água constitui um bem de primeiríssima necessidade e que a mesma no caso do Cartaxo assume uma enorme relevância suplementar atendendo à importância da agricultura no quadro geral da atividade económica no nosso território; a situação de seca existente em Portugal recomenda que todos os atores e intervenientes com responsabilidades no território, a todos os níveis da Administração, incluindo, naturalmente, as autarquias locais e, em especial, os municípios, assumam as suas responsabilidades e tomem as medidas adequadas no sentido de minorar os efeitos daquela junto das populações e, em geral, junto do tecido económico e social”, entre outras.

Desta forma, os vereadores “entendem que o executivo municipal deve ter uma postura responsável e proativa”. Assim sendo, quiseram saber se “a Câmara do Cartaxo já falou com a Cartágua Águas do Cartaxo, SA, sobre a situação de seca extrema que também atinge o território do Cartaxo; a Câmara já perguntou a Cartágua se dispõe de algum plano de contingência para suprir eventuais falhas na captação e/ou na distribuição de água”; se já “alertou a Cartágua para a necessidade de uma gestão mais prudente dos recursos hídricos do território do Cartaxo; a Câmara Municipal do Cartaxo já questionou a Cartágua sobre o comportamento dos furos de captação”.

A juntar a estas questões, os vereadores querem saber se a Câmara “já tomou a iniciativa de contactar o Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional para procurar saber quais as restrições no domínio do consumo de água que vão ser, nas palavras do Ministro, ‘combinadas com as autarquias'”; se “já tomou alguma iniciativa no sentido de alertar para este problema os cerca de 2.000 agregados familiares que no território do Cartaxo não têm ligação à Cartágua e que por isso dependem de furos próprios”; se já “fez ou já preparou alguma campanha de sensibilização para o uso e consumo sustentável de água dirigida à população do Cartaxo”; e se já “tomou ou preparou alguma medida para o uso sustentável de água no âmbito dos seus próprios consumos”.

Em resposta às questões do JPM, Pedro Ribeiro, presidente do Município, esclareceu que “a Câmara Municipal ainda não se sentou com a Cartágua a resolver esta matéria”, adiantando que no último conselho geral da Associação Nacional de Municípios foi “transmitido que o Ministério do Ambiente está a fazer uma avaliação do nosso território e que iriam fazer reuniões, com a CIM (Comunidade Intermunicipal), para fazer uma avaliação com os municípios em relação a esta matéria”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.