Vereadores do PSD preocupados com Carta Educativa e rede viária

 

Os vereadores do PSD na Câmara do Cartaxo querem saber qual o ponto de situação da Carta Educativa do Município.

Reunião CMCTX 1

O vereador Paulo Neves lembrou que “já andamos aqui desde o início do ano para trazer a deliberação ao executivo, e o que é um facto é que nunca apareceu, e acho que é um instrumento importante para o nosso concelho, para as nossas escolas. Já estamos em maio e era mais que tempo de ter vindo”.

Fernando Amorim, vice-presidente da autarquia e que presidiu a esta reunião descentralizada, realizada na ACAS (Associação Comunitária de Assistência Social), em Vila Chã de Ourique, esclareceu que “a última informação que tive, e segundo o Conselho Municipal de Educação, houve uma correções a realizar, até por causa da construção e da aprovação do projeto da Escola Básica Integrada de Pontével. Havia que fazer a reformulação de alguns dados na Carta Educativa. Que eu tenha conhecimento, essa reformulação ainda não foi feita”, comprometendo-se a fazer um ponto de situação completo na próxima reunião de Câmara.

No entanto, sempre foi adiantando que ainda não abriram as candidaturas ao Portugal 2020, o que faz com que o documento ainda não esteja atrasado.

Mais artigos
1 De 949

O documento deverá estar pronto a tempo da Assembleia Municipal de setembro, para ser aprovado pelos eleitos.

O PSD quis saber, igualmente, desta vez pelo vereador Vasco Cunha, qual o ponto de situação do plano de beneficiação da rede viária. “O inverno está praticamente no fim e, se tudo correr bem, as chuvas maiores já foram, e havia aqui alguma urgência em começar-se a tratar da rede viária”, referiu Vasco Cunha, que salientou, também, a importância da pintura das vias, muitas das quais não têm guias.

Fernando Amorim explicou que o plano de beneficiação da rede viária vai avançar com uma adjudicação direta. “Pensamos, nesta primeira fase, e com o limite dos 150 mil euros, irá contemplar alguns troços da rede viária do Cartaxo, nesta fase. Vamos lançar o concurso para as restantes prioridades elencadas pelos senhores presidentes de Junta, 250 mil euros, em números redondos, neste ano de 2016”.

O autarca acrescentou que “se fosse só colocar alcatrão era mais fácil. O dobro do custo é, talvez, a preparação do pavimento para levar o alcatrão, nomeadamente na zona das rotundas. A intervenção só nas rotundas tem um valor estimado de 74 mil euros, e não são todas, estamos a falar só nas rotundas da Circular e na rotunda do ciclista”.


 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.