Até mudar a hora cartaxeiros caminham às escuras

Chegados a esta altura do ano é comum recebermos mensagens de leitores do Jornal de Cá queixando-se da escuridão das ruas do Cartaxo, pela manhã, devido ao reajuste tardio dos horários da iluminação pública.

Várias pessoas que se deslocam a pé para o trabalho, muitas delas para apanhar transportes públicos, veem-se obrigadas percorrer ruas, algumas das quais sem grande segurança para os peões, completamente às escuras. Acontece, recorrentemente, em outubro e as queixas já começaram a chegar.

“O cartaxo a partir das 6h50 em quase todas as ruas não tem luz porque desligam antes dessa hora e as pessoas circulam a pé para apanhar os transportes e não se vê nada”, desabafa uma leitora que se desloca do Casal do sol posto até à Rua Batalhoz.

As respostas que nos foram dadas em anos passados, nesta mesma altura do ano, eram que estamos numa fase de transição até à mudança da hora legal, altura em que a E-Redes (EDP) reajusta os horários da iluminação pública. Esta terça-feira, o presidente da Câmara Municipal confirmou isso mesmo ao Jornal de Cá, adiantando que este ano “até antecipámos o pedido de alteração [dos horários], eles [E-Redes] é que não executaram”. Pedro Ribeiro diz que foi solicitada esta alteração à E-Redes, “com tempo para que a situação fosse reajustada, mas ainda nada foi alterado”.

Esta é uma situação recorrente em outubro, quando os dias passam a ser mais curtos até à mudança da hora legal, que este anos ocorrerá às 2h da madrugada do dia 31 de outubro, quando os relógios atrasam 60 minutos.

Assim sendo, até lá, quem circula pé, ao final da tarde e ao início da manhã, muito provavelmente, terá de andar às escuras.

Pode gostar também