Alunos do Cartaxo promovem recolha de máscaras

Alunos do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo estão a promover uma campanha de recolha de máscaras descartáveis para posterior reciclagem na Universidade do Minho.

É mais uma ação dos alunos do 7º e do 8º ano do Agrupamento Marcelino Mesquita, no âmbito da disciplina Oficina do Conhecimento, dinamizada pela professora Ana Isabel Vieira, sempre com o intuito de sensibilizar os mais novos para as questões ambientais, “com toda a certeza de que os frutos destas ações se irão refletir mais tarde, ao nível da sua participação ativa na sociedade”, considera a professora, que desta vez também envolveu uma turma do 10º ano.

Trata-se de uma campanha de recolha de máscaras usadas (não as de tecido), que serão posteriormente enviadas pela Câmara Municipal do Cartaxo – parceira nesta ação – para a Universidade do Minho que procederá à sua reciclagem.

O objetivo desta ação, desenvolvida diretamente pelas turmas do 7ºD, 7ºG, 8ºB, 8ºC e também pelo 10ºK do curso profissional de Ação Educativa (na foto em destaque), é “sensibilizar toda a comunidade da cidade para a importância de proteger a nossa saúde e o ambiente em geral”.

Ler
1 De 165

Cada aluno, encarregado de educação ou cidadão externo à escola poderá colocar a sua máscara nos bidões destinados para o efeito, com a máxima segurança, e que se encontram na Escola Secundária e na Escola Básica Marcelino Mesquita. Nesta última, o bidão encontra-se na portaria para que qualquer cidadão possa entregar a sua máscara, sem qualquer problema de segurança uma vez que só há uma pequena abertura para a colocação da mesma. Importa referir que ninguém vai recolher máscaras que se encontrem espalhadas pelo chão.

“Para além da poluição existente, assistimos hoje a um novo problema ambiental: todos os dias verificamos a existência de máscaras usadas espalhadas pelo chão das cidades, em todo o mundo. A escola tem a responsabilidade de, através de ações de sensibilização de apelo à cidadania, concretizar ações que zelem pelo bem-estar de todos”, lembra a professora Ana Isabel Vieira, frisando que “o papel dos alunos nesta campanha é de alertar consciências, melhorar atitudes e comportamentos”.

A professora acredita que “poderão ser os mais novos a dar algumas lições de cidadania àqueles adultos menos sensíveis a estas questões da proteção do nosso planeta. Não queremos fazer parte do problema, mas sim das soluções que promovam o bem-estar comum e, consequentemente, fazer com que os alunos se sintam mais felizes na escola”.

Pode gostar também