Coronavírus: Surto no jardim de infância de Vila Chã de Ourique

Entre funcionárias, crianças e pais há já mais de uma dezena de casos positivos à Covid-19 relacionados com o Jardim de Infância de Vila Chã de Ourique.

Depois de encerrar portas na passada segunda-feira (9), devido a um caso positivo à covid-19, foram surgindo ao longo da semana mais casos positivos, sabe o Jornal de Cá. Falamos de crianças, apenas com sintomas ligeiros (mas também há assintomáticas), pais e assistentes operacionais do jardim de infância, que após surgirem sintomas realizaram o teste ao coronavírus e o resultado foi positivo. São já conhecidos testes positivos em quatro funcionárias, oito crianças e quatro familiares diretos.

O Jornal de Cá sabe que ainda há testes por realizar, alguns marcados para a próxima semana, e outros por saber ainda o resultado, pois só esta sexta-feira os encarregados de educação receberam a comunicação da autoridade de saúde local, com a indicação do isolamento profilático, que as crianças têm de cumprir até ao dia 22 de novembro e, entre outras informações, os códigos de acesso ao teste à covid-19 que as crianças devem realizar.

O diretor do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo dirigiu uma carta aos encarregados de educação, deixando uma palavra de “solidariedade” e pedindo “colaboração”, lembrando que assim que teve conhecimento do primeiro caso, no passado domingo, solicitou que fossem informados os encarregados de educação de que o jardim de infância iria encerrar, provisoriamente, comunicando na segunda-feira seguinte a situação à delegada de saúde. Jorge Tavares informa que na terça-feira, seguiram os contactos dos alunos e respetivos encarregados de educação, docentes e restantes assistentes operacionais, determinando a delegada de saúde, nesse dia, o isolamento profilático (já a decorrer desde segunda-feira, 9 de novembro).

Jorge Tavares dá a garantia das educadoras de que foram “respeitados” os procedimentos do plano de contingência, informando que após a reabertura do jardim de infância será “aberto um processo interno de averiguações para se detetarem eventuais falhas ocorridas e assim se garantirem procedimentos mais seguros”.

Este é um caso que o Jornal de Cá vai continuar a acompanhar.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.