Cenários Económicos | Covid-19

Opinião de João Pedro Barroca

A preocupação da população portuguesa com a Covid-19 não deve diminuir, pois esta continua bem presente na sociedade, no entanto chegou a altura de começarmos a pensar na economia e na forma como o seu comportamento irá afetar direta ou indiretamente a vida de todos os portugueses.

Neste sentido fazendo um breve enquadramento da economia portuguesa, vislumbram-se pelo menos três aspetos que, certamente, irão influenciar o seu desempenho num futuro próximo.

Forte dependência face ao setor do Turismo
O primeiro está relacionado com a forte dependência face ao setor do turismo e de uma eventual demora acrescida na sua recuperação, face a outros setores que poderão vir a recuperar mais rápido.

Aumento da taxa de desemprego
Perspetivando-se um aumento significativo do desemprego, antevê-se uma quebra na procura global e no consumo privado.

Impacto negativo no comércio internacional
Embora a economia portuguesa não seja tradicionalmente exportadora, assistimos nos últimos anos a um crescimento progressivo do peso das exportações no PIB, logo sendo esta pandemia um grave problema à escala mundial, antevê-se um impacto negativo nas trocas comerciais internacionais por parte das empresas portuguesas, voltando a acentuar os desequilíbrios do passado na nossa balança comercial.

Mais artigos
1 De 295
Fonte: Banco de Portugal e INE

Partindo do pressuposto que o surgimento de uma nova crise económica será inevitável, neste momento a questão que se coloca, consiste em saber como irá ser a recuperação da economia portuguesa.

Recuperação em V
Esta sem dúvida que acaba por ser a recuperação mais desejada. Neste cenário, embora o impacto na economia seja grande, também se antevê uma rápida recuperação. A procura e a oferta reajustam-se rapidamente para níveis próximos que existiam na fase pré-pandemia, com a ajuda de eventuais estímulos orçamentais e monetários.

Recuperação em U
Parecida com a recuperação em V, esta retoma da economia seria igualmente forte mas demoraria mais tempo. Segundo a opinião da maior parte dos especialistas em matéria económica, este parece ser o cenário mais provável.

Recuperação em L
Trata-se do cenário mais pessimista, em que apesar da economia portuguesa entrar numa fase de recuperação, esta não conseguirá no curto prazo chegar ao nível pré-pandemia. Neste caso, a economia iria comportar-se de forma semelhante, àquela que se verificou no início da última crise económica.

Num próximo artigo de opinião espero abordar as medidas que, na minha opinião seriam adequadas para o relançamento da economia nacional, não esquecendo a sua incidência na nossa economia local.

*Artigo publicado na edição de junho do Jornal de Cá.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.