Oposição quer mais ações de sensibilização ambiental

Lixo junto aos contentores leva vereador a pedir maior intervenção do município

Nuno Rosa Nogueira veio, em reunião de Câmara, pedir um reforço por parte do município na sensibilização ambiental, no sentido de levar as pessoas a deixar de depositar lixo indiferenciado junto aos contentores.

“Nesta altura do ano, as pessoas fazem limpezas nas suas casas e junto aos contentores do lixo há grandes amontoados de lixo indiferenciado”, refere o vereador da coligação Juntos pela Mudança (JPM) que, para além do acordo de parceria com a FREE TO BE – Associação Educar para a Sustentabilidade, já noticiado pelo Jornal de Cá e abordado pelo presidente da Câmara nesta reunião de 6 de agosto, gostaria de ver mais reforçado ainda o trabalho do município nesta área , “por via de campanhas de sensibilização ou outro tipo de atividades, juntamente com as freguesias, no sentido de reforçar, até com a parcerias das autoridades, nomeadamente a GNR, e tentar sensibilizar as pessoas”. Porque, segundo Nuno Rosa Nogueira, “não basta só fazer a limpeza nos terrenos e nas suas casa e deixarem junto aos contentores”, frisando, contudo, que “não estou aqui a falar em termos de ‘mão pesada’, mas para que houvesse uma sensibilização nessa matéria”.

O vereador do Ambiente, Pedro Nobre, reconhece que “há aqui muito por fazer, não só de sensibilização, como até mesmo dos meios que temos ao nosso serviço”, dando como exemplo o ecocentro. Segundo o vereador, “cada vez é mais difícil conseguir controlar tudo o que é depositado junto dos contentores, por isso, acho que ainda não se fez muita coisa que possa vir a melhorar, sobretudo, na área da sensibilização”, explicando o que se pode fazer e que meios alternativos existem para depositar os verdes e outro tipo de lixos. Pedro Nobre admite que “há um caminho de sensibilização a fazer”, adiantando que, “nesse aspeto, já tivemos ações preparadas para o primeiro ciclo, onde queremos também atuar, desde logo, em ações de sensibilização sobre economia sustentável e reciclagem”.

Mal servidos com a Resiurb  
O presidente Pedro Ribeiro reforçou a informação do vereador do Ambiente, dizendo que “há um longo caminho para fazer nesta área, ao nível da sensibilização, da própria comunicação camarária, dos horários de funcionamento do ecocentro e de como este está a funcionar”, em termos de sinalização para as pessoas poderem depositar lá os seus resíduos. “Somos críticos no seio da Resiurb da Ecolezíria da forma como as coisas estão a ser tratadas”, afirma o presidente, acrescentando que “os municípios aderentes da Resiurb da Ecolezíria têm estado mal servidos no que diz respeito ao tratamento de resíduos provenientes da recolha seletiva. Penso que estamos classificados, desde há algum tempo, como o pior sistema a nível nacional e, por isso, em breve, julgo que o município terá condições para trazer alguns assuntos, que são estruturais, sobre essas matérias e onde vamos ser todos chamados a tomar posição, independentemente daquilo que está em curso, sobre aquilo que deve ser o futuro destas áreas que são cada vez mais importantes”. Pedro Ribeiro diz que “vamos procurar soluções para ser consequentes em relação a isso e defender os interesses do nosso município em relação a essa matéria”, afirmando que “os próximos meses serão também de decisão em relação a este assunto”.

No seguimento da explicação do presidente, Jorge Gaspar, vereador da coligação JPM, recordou que o presidente já havia falado há umas semanas deste assunto em reunião de Câmara, trazendo “três hipóteses que estão em estudo” e quis saber se destas “três já eliminaram alguma”. Pedro Ribeiro, que mostrou algumas reservas em falar do assunto, “porque ainda não temos as coisas devidamente estudadas”, acabou por dizer que “temos sistemas, aqui à volta que, a nível até da própria valorização dos resíduos, estão classificados como os melhores do país” e que “há aqui um conjunto de diligências que vamos precisar de autorizações. Estamos na fase de avaliação e a aguardar que essas portas possam estar abertas. Estamos a equacionar isso”, acabando por apontar a Valorsul como uma das empresas a considerar.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.