Voto de louvor aos comerciantes rejeitado

O voto de louvor foi rejeitado com 15 votos contra, quatro abstenções e nove votos a favor

Os eleitos da coligação Juntos Pela Mudança (JPM) apresentaram, na última Assembleia Municipal, um voto de louvor aos comerciantes do Cartaxo pela sua “notável perseverança e coragem” na luta contra uma “conjuntura económica difícil, somada à dificuldade de rivalizar com as grandes superfícies comerciais e, no caso concreto do nosso concelho, a inadequada limpeza do espaço urbano”.

Segundo o documento, “contrariamente ao que muitas vezes se apregoa, os comerciantes conseguem organizar-se, criar as suas próprias oportunidades e fazer
face às adversidades que o nosso Cartaxo vive”.

Este voto de louvor foi motivado pela realização do Arraial do Torricado que, segundo os eleitos da JPM, para além de contribuir para o desenvolvimento dos respetivos negócios, contribuiu “para o fortalecimento dos laços da comunidade cartaxeira”.

Délio Pereira, do PS, disse concordar com o voto de louvor, mas “lamento que não tenha nenhuma referência quer à Câmara Municipal quer à União de Freguesias, tendo em conta que toda a logística daquele evento foi das autarquias”.

O presidente do Município, Pedro Ribeiro, salientou que este é muito mais que um voto de louvor, “porque ele também diz que houve erros estratégicos, protagonizados pela Câmara, no Cartaxo, em relação ao comércio”. “É um voto de louvor onde vem incorporado quase um atestado de incompetência aos cartaxeiros de todas as freguesias, porque se houvesse erros estratégicos, o PS não era, hoje, governo, era o JPM, o PSD ou outra coisa qualquer”, destacou.

O voto de louvor foi rejeitado com 15 votos contra, quatro abstenções e nove votos a favor.

Pode gostar também
Comentários
Loading...