Orçamento Participativo Escolar já tem vencedores

O Orçamento Participativo Escolar voltou a convocar os alunos dos dois agrupamentos de escolas do concelho, para debater ideias e propor soluções para as suas escolas. Na edição de 2022, foram as crianças do 1º ciclo do ensino básico quem apresentou propostas e quem venceu foi a Escola Básica nº 2 do Cartaxo e a as quatro escolas básicas do Agrupamento D. Sancho, que apresentaram um projeto conjunto.

Apresentadas e votadas em assembleias participativas, que decorreram no Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo e no Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével, as propostas vencedoras vão receber um total de 10 mil euros do orçamento da Câmara Municipal – cinco mil euros para cada agrupamento.

No Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo foi a turma do 4º A da Escola Básica nº 2 do Cartaxo, que viu a sua proposta ser a mais votada, no Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével foi apresentada uma proposta única, criada por todas as escolas (na foto em destaque).

“Desde dia 16 de março que o Orçamento Participativo Escolar anda a dar que pensar às crianças das escolas do concelho”, conta a vereadora Maria de Fátima Vinagre, responsável pelo pelouro da Educação na Câmara Municipal do Cartaxo.

Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo

Até chegarem ao momento de apresentar as propostas aos colegas, que as votam em duas assembleias participativas – no Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo a assembleia reuniu no dia 9 de junho, no Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével a assembleia reuniu no dia 22 de junho –, os alunos, coordenados pelos seus professores, debateram as prioridades para a sua escola, pensaram em soluções, reuniram orçamentos e prepararam argumentos.

Ler
1 De 684

Para Maria de Fátima Vinagre, “o processo de criação das propostas, que implica trabalhar em equipa, estar atento às necessidades dos outros colegas, defender opiniões e projetos com respeito pelos outros, procurar consensos e, também, saber desfrutar da vitória com alegria pelo resultado atingido e com cortesia perante quem não viu a sua proposta sair vencedora”, justifica por si só a “relevância do projeto para a construção de uma comunidade democrática, de cidadãos empenhados e resilientes”.

No Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo, foram apresentadas quatro propostas – ‘Sempre em Movimento’ pelas turmas 4ºA; 4ºB; 4ºC e 4º/3ºD da EB José Tagarro, ‘Espaço Lúdico’ pela turma do 4ºA da EB nº 2 do Cartaxo, ‘Na escola… sombra para brincar, não pode faltar!’ pela turma do 4ºA da EB nº 3 do Cartaxo e ‘Aprender com motivação, eis a solução’ da EB de Vila Chã de Ourique.

A vencedora, com mais de quinze por cento dos votos positivos das 40 crianças que constituíram a assembleia, foi a proposta Espaço Lúdico, que propôs a criação de uma área coberta no pátio de recreio, defendendo que brincar é a maneira mais natural de desenvolver a criatividade e a imaginação. A turma do 4ºA da EB nº 2 do Cartaxo vai ver realizada a sua proposta de construir um telheiro que permita desenvolver atividades ao ar livre, faça sol ou faça chuva.

No Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével, as quatro escolas básicas – de Pontével, da Lapa, da Ereira, dos Casais dos Penedos e de Vale da Pinta – apresentaram uma proposta conjunta para um projeto que beneficiará toda a comunidade escolar do agrupamento.

Designada por Cultiv’Arte, a proposta prevê a construção de dezasseis canteiros, uma para cada turma, destinados à plantação de hortícolas e ervas aromáticas, assim como, a aquisição de seis biombos e todos os adereços necessários que permitirão, a cada uma das escolas proponentes, ter um teatro de fantoches.

Os alunos e alunas mostraram como a execução da Culti’Arte vai permitir ensinar e prender os conteúdos pedagógicos de um modo lúdico, ao integrar o conhecimento teórico com o exercício de atividades reais.  Da matemática ao estudo do meio, das preocupações com o ambiente às práticas mais sustentáveis, do conhecimento de tradições à capacidade de trabalho colaborativo e inovador, da música à língua portuguesa, são muitos temas cujo processo ensino aprendizagem beneficiará com o projeto. Ao obter cem por cento dos votos positivos, Cultiv’Arte terá agora cinco mil euros para se concretizar.

Orçamento Participativo Escolar envolve toda a comunidade educativa
A Câmara Municipal do Cartaxo organiza o Orçamento Participativo Escolar em parceria com os agrupamentos de escolas e associações de pais. Os alunos são desafiados a desenvolver propostas que possam dar resposta ao que consideram prioritário para as suas escolas.

As propostas são votadas em assembleias participativas, uma por cada agrupamento de escolas. A Câmara Municipal do Cartaxo reserva 10 mil euros do orçamento municipal para este projeto que visa promover a participação e o exercício de uma cidadania empenhada no bem-estar de toda a comunidade.

Isuvol
Pode gostar também