Piscinas municipais descobertas reabriram com regras apertadas

As piscinas municipais descobertas reabriram ao público no dia 21 de julho, este ano, consideravelmente mais tarde que em anos anteriores, devido à pandemia de Covid-19.

Até à sua abertura, foram efetuadas diversas obras de beneficiação, num investimento de cerca de 22.400 euros. Na zona das piscinas, os trabalhos incidiram sobretudo no arranjo de fundos e rodapés, na impermeabilização com resinas epoxy e finalização com padrões iguais aos existentes. Foram também adquiridos dois duches com fluxómetro e efetuadas reparações no sistema de filtração da piscina grande exterior. As obras contemplaram, ainda, melhorias na zona da receção e nas condições de acessibilidade, através da construção de duas rampas para mobilidade reduzida.

As piscinas municipais descobertas têm, à semelhança dos outros equipamentos municipais, planos de contingência dedicados, elaborados pelo Serviço Municipal de Proteção Civil e pelos serviços municipais responsáveis pelos espaços.

Assim, o funcionamento das piscinas fica sujeito ao cumprimento de diversas regras, de acordo com orientações da Direção-Geral da Saúde e da legislação em vigor, como a utilização de máscara, a desinfeção das mãos e controlo da temperatura na entrada, e o respeito pela distância de segurança.

A capacidade máxima de utilização diária é de 200 pessoas, sendo o controlo efetuado através da cedência de pulseiras de controlo fornecidas a todos os utilizadores na bilheteira. Para evitar a concentração de pessoas, os circuitos de circulação estão definidos e identificados, sendo obrigatório respeitar a distância de 1,5 metros entre banhistas que não pertençam ao mesmo grupo e de 3 metros entre chapéus de sol.

A limpeza e higienização do espaço foi reforçada, com especial atenção às áreas de circulação e zonas de maior contacto e foram instalados dispensadores com solução desinfetante em diversos pontos para todos os utilizadores.

Mais artigos
1 De 504

Até aqui, “a adaptação a este plano de contingência, a estas novas regras, decorreu com naturalidade e com rigor por parte de todos os que visitaram e usufruíram das nossas piscinas”, afirmou Pedro Nobre, vereador responsável pelas piscinas municipais.

Segundo nota da autarquia, a lotação máxima prevista não foi atingida, “mas a procura diária deste equipamento mostrou-nos que esta era uma reabertura muito ansiada”, acrescentou Pedro Nobre.

Lembrando que “a segurança de toda a comunidade continua a ser da responsabilidade de todos e de cada um”, o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro relembra que “está nas mãos de todos fazer um uso responsável deste equipamento, respeitando as regras, cumprindo todas as orientações oficiais, para que as Piscinas Descobertas Municipais do Cartaxo continuem a ser um espaço privilegiado de encontro e de convívio”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.